33 anos do assassinato de Dom Oscar Romero

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Hoje, 24 de março de 2013, fazem 33 anos do martírio de Dom Oscar Romero. Lutava contra a tirania da ditadura militar em seu país, El Salvador. Foi morto a mando da ditadura salvadorenha e da CIA, com um tiro certeiro no coração, quando ergueu o Cálice Sagrado para a consagração do Corpo e Sangue de Jesus Cristo, diante dos fiéis na capela do Hospital da Divina Providência. O mandante do crime, major Roberto D’Aubuisson, é reconhecido como responsável, mas nunca foi processado..

Acredita-se que o que motivou de vez o assassinato dele foi sua homilia do dia 23 de março de 1980, um dia antes de sua morte, onde bradou: “Frente à ordem de matar seus irmãos deve prevalecer a Lei de Deus, que afirma: NÃO MATARÁS! Ninguém deve obedecer a uma lei imoral (…). Em favor deste povo sofrido, cujos gritos sobem ao céu de maneira sempre mais numerosa, suplico-lhes, peço-lhes, ordeno-lhes em nome de Deus: cesse a repressão!”

“Dom Romero foi um bispo exemplar, porque foi um bispo dos pobres em um continente que carrega tão cruelmente a marca da pobreza das grandes maiorias, enxertou-se entre eles, defendeu sua causa e sofreu a mesma sorte deles: a perseguição e o martírio. Dom Romero é o símbolo de toda uma Igreja e de um continente latino-americanos, verdadeiro servo sofredor de Yahwé, que carrega o pecado, a injustiça e a morte de nosso continente. Embora, às vezes, o pressentíamos, seu assassinato não nos surpreendeu; seu destino não podia ser outro, pois ele foi fiel a Jesus e se inseriu de verdade na dor de nossos povos”, disse Dom Samuel Ruiz Garcia, bispo emérito de San Cristóbal de Las Casas, Chiapas, México.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *