4 mil famílias de Guarapuava e Pinhão recebem doação de alimentos do MST, no Paraná

Compartilhe esta notícia.

Ação contou com doações de cerca de 30 comunidades rurais da região centro-oeste do estado

Fotos: Joka Madruga/Terra Sem Males

Cerca de 4 mil famílias de bairros carentes de Guarapuava e Pinhão, centro-sul do Paraná, receberam alimentos doados por agricultores acampados, assentados e posseiros da região, ao longo deste sábado (30). Ao todo, foram distribuídos 51,850 toneladas, doadas por 15 acampamento e 10 assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), além de 4 comunidades de posseiros. A ação é em solidariedade às famílias urbanas que já enfrentam a falta de comida neste período de pandemia do novo coronavírus.

“Nesses tempos de pandemia, essa doação é uma benção de Deus. Vocês [do MST] estão de parabéns. Veio numa hora muito boa pra nós”, resumiu Hamilton Ramos, morador do bairro Jardim das Américas, de Guarapuava, ao receber o kit com aproximadamente 13 quilos de alimentos.

Moradores do bairro Xarquinho recebem doações do MST. Foto: Joka Madruga/Terra Sem Males

Em Guarapuava, a distribuição dos alimentos ocorreu nos bairros Xarquinho, Residencial 2000, Jardim das Américas e Paz e Bem. Ali, a entrega contou com a mobilização da Igreja Católica local, com a presença do secretário-executivo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) – Regional Sul 2, Padre Valdecir Badzinski, e do Padre Sebastião José Goulart, coordenador da Ação Evangelizadora da Diocese de Guarapuava, que fizeram a benção dos alimentos. Em Pinhão, os alimentos foram distribuídos nos bairros Colina Verde, Ouro Verde e Invernadinha.

Cleide de Oliveira Gonçalves, do assentamento Nova Geração, de Guarapuava, participou de perto da organização dos kits que foram destinados às famílias da cidade. “A gente fica até emocionada de falar. Um dia a gente recebeu também assim, hoje nós temos pra doar pra quem precisa. É uma alegria muito grande”.

Foto: Joka Madruga/Terra Sem Males

A diversidade de alimentos chegou a 53 itens, entre os produtos doados está feijão, arroz, quirera, fubá, farinha de milho, pinhão, erva-mate, batata-doce, mandioca, moranga, abóbora, derivados de leite, hortaliças, batata, limão, laranja, banana, sabão caseiro.

O agrônomo Jairo Macedo trabalha na Emater (Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural) e acompanha as comunidades rurais da região há 30 anos. Ele avalia que a ação deste sábado “é uma pequena amostra” do que pode ser o resultado da efetivação da reforma agrária. “É muito gratificante ver os assentados e os acampados que já estão produzindo para si e para poder doar a outras pessoas nesse momento de crise, de fome pela pandemia. Estão aqui dentro dos bairros carentes da nossa cidade mostrando pra população como é ter um pedaço de terra, ser um assentado, estar na reforma agrária”, relata.

Foto: Joka Madruga/Terra Sem Males

Nelson Preto, morador do assentamento Nova Geração e integrante da direção do MST na região, conta que foram cerca de 20 dias para mobilizar e organizar a arrecadação dos alimentos. A entrega nos bairros urbanos ao longo deste sábado reformou a necessidade da iniciativa: “Não é só no nordeste que tem gente que possa fome, não é só São Paulo. Aqui nós visitamos os bairros e as comunidades de Guarapuava onde estão a fome, a miséria, o desemprego, não tem ajuda municipal ou estadual.

Dados do Ministério da Economia revelam que em março e abril 969 empregos com carteira assinada foram extintos na cidade de Guarapuava. A cidade tem 27 casos da covid-19, enquanto Pinhão tem 2 casos. Nenhum dos municípios registra óbitos em decorrência da doença.

Solidariedade das famílias Sem Terra 

Além das doações realizadas em Pinhão e Guarapuava, famílias do MST no município de Rio Bonito do Iguaçu-PR, região centro, doaram 4 toneladas de alimentos à população urbana da cidade neste sábado. A ação partiu dos agricultoras e agricultores do acampamento Herdeiros da Terra de 1 de Maio.

Com estas doações, o MST do Paraná chegou ao total 154 toneladas de comida saudável doada desde o início da pandemia. Também foram distribuídas 2.200 marmitas agroecológicas e 400 máscaras de tecido. O Movimento de todo o Brasil está em campanha permanente de solidariedade e já doou mais de 1.200 toneladas de alimentos. 

Foto: Joka Madruga/Terra Sem Males

Clique aqui para ler sobre REFORMA AGRÁRIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *