APP esclarece dúvidas de professores grevistas e pede que coações sejam denunciadas

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Luiz Fernando Rodrigues no ato do dia 19. Foto: Joka Madruga/APP Sindicato.

Nesta quinta-feira, 21 de maio, os professores estaduais e outros servidores públicos do Paraná estão no 24º dia de greve enquanto a negociação entre o Fórum de Entidades Sindicais (FES) e o governo não avança sobre o reajuste de salários.

Para rebater boatos que já circulam entre professores de aplicação de faltas, desconto de dias parados e até mesmo de caracterização de abandono de emprego, o Secretário de Comunicação da APP Sindicato, Luiz Fernando Rodrigues, esclarece: 

Aplicação de faltas e desconto dos dias parados

São dois pontos: se o governo vai aplicar a falta e descontar do salário, como as aulas serão repostas? “Se o professor tem falta, não tem a obrigação de repor a aula, o aluno ficará sem aula. O governo vai contratar outros 80 mil professores para fazer a reposição?”, questiona o dirigente. O outro aspecto: “o governo quer descontar dos salários de servidores legitimamente em greve mas comissionados do governo estadual que estão presos continuam recebendo seus salários de mais de R$ 30 mil por mês?”. Luiz Fernando explica: nesse mês não tem registro de falta e não tem desconto nos salários.

Caracterização de abandono de emprego é boato

A greve está perto de completar 30 dias e há o termo de caracterização de abandono de emprego. O direito de greve é estabelecido por lei federal e durante todo o período o contrato de trabalho está suspenso, portanto não há caracterização de abandono de emprego.

A greve é ilegal ou abusiva?

Luiz Fernando explica que a greve dos professores não é ilegal e que foi considerada abusiva por um juiz. A APP Sindicato recorreu da decisão e vai levar o processo até a última instância. “Esse processo vai levar mais de três anos para ser finalizado. O recurso não foi julgado e nesse momento a greve não é considerada abusiva pela justiça”.

Denuncie coações

A APP pede aos professores que se sentirem coagidos a retornarem às salas de aula que procurem os núcleos regionais ou a sede estadual da APP Sindicato para denunciar. A greve dos professores não é abusiva, não é ilegal, ainda não há desconto nos salários e nem faltas e não será caracterizada por abandono de emprego.

Por Paula Zarth Padilha
Terra Sem Males

Um comentário em “APP esclarece dúvidas de professores grevistas e pede que coações sejam denunciadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *