AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE DEFESA DA PETROBRÁS NA CÂMARA DE CURITIBA

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Na tarde desta quinta-feira, 10 de setembro, a Câmara Municipal de Curitiba promove Audiência Pública em Defesa da Petrobrás. O encontro conta com a participação de representantes do movimento sindical e dos movimentos sociais. O objetivo é debater a importância da estatal petrolífera para o desenvolvimento do país e criar uma frente parlamentar em defesa da empresa.

JL_LT1_3190_Audiência Pública_Petrobras_Foto_Leandro Taques

Foto: Leandro Taques.

Foto: Leandro Taques.
Foto: Leandro Taques.

Para o presidente do Sindipetro PR e SC, Mário Alberto Dal Zot, a Petrobrás passa por uma sucessão de ataques com a finalidade de denegrir sua imagem perante a opinião pública e, assim, diminuir seu potencial de crescimento e desenvolvimento. “Isso está comprovado no novo Plano de Negócios e Gestão, que prevê venda de ativos de patrimônio e redução de investimentos. A situação é agravada pelos oportunistas, como o senador José Serra (PSDB/SP), que aproveita o momento para apresentar um Projeto de Lei (PLS 131/2015) que retira da Petrobrás o direito de ser operadora exclusiva na área do pré-sal”, destacou Dal Zot.

O novo Plano de Negócios e Gestão da Petrobrás, aprovado pelo Conselho Deliberativo da empresa no final de junho, prevê cortes de US$ 89 bilhões nos investimentos e despesas da empresa e venda US$ 57 bilhões em ativos de patrimônio da estatal. “A Petrobrás é muito maior do que os escândalos de corrupção envolvendo empreiteiras que prestaram serviços. Queremos investigação, punição e devolução à Petrobrás dos valores desviados. Todavia, também queremos que a empresa siga como propulsora da economia brasileira, pois responde por 13% do PIB”, destacou.

Com o enfraquecimento da Petrobrás, duas das áreas mais importantes para o desenvolvimento do Brasil seriam gravemente prejudicadas: a saúde e a educação. A Lei dos Royalties, aprovada em 2013, garante que 75% dos royalties do petróleo sejam destinados para a educação e 25% para a saúde. Além disso, o texto também garante que 50% dos recursos do fundo social do Pré-Sal também sejam destinados para estas duas áreas.

 

Com informações do Sindipetro PR/SC

 

Terra Sem Males

anuncio-tsm-posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *