Avanti Palestrinos | Palmeiras é dez

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Por Manoel Ramires
Terra Sem Males

Seis vitórias, quatro empates. O Palmeiras conseguiu mais um êxito contra o Coritiba, jogando a responsabilidade para o Flamengo, que o persegue na busca pelo título. A vitória ocorreu após o palestra passar pela “prova de fogo”, que incluía dois clássicos estaduais e três nacionais. Cinco jogos duros em que não perdeu pontos para seus adversários. Por outro lado, a vitória sobre o Coritiba – apático – inicia a fase em que o Palmeiras se consolidou na liderança no primeiro turno.

Se a sequência de grandes choques foi dura, o jogo contra o coxa demonstrou que os próximos confrontos contra as equipes bem abaixo da tabela não serão nada fáceis. Essas equipes jogam com a clara proposta do “antijogo”. Ficam fechadinhas, abusam das faltas e da catimba e torcem por um vacilo ou momento de desatenção do líder do campeonato.

A estratégia do Coritiba funcionou bem no primeiro tempo de jogo. O time paranaense conseguiu segurar o ataque veloz palestrino, mesmo estando bem desfalcado.

Contudo, o líder mostrou porque tem elenco forte e mais esquemas de jogo do que seus adversários. Na segunda etapa, Cuca colocou Leandro Pereira, centro avante de ofício, para segurar a zaga, abrindo Gabriel Jesus e Dudu, que por sinal foi o melhor jogador em campo. E o gol saiu de uma falta, em que Banana disputou e ganhou jogada com o goleiro Wilson, que vacilou no lance.

Já o segundo lance também nasceu de uma falta. Mas sem chuveirinho na área. A jogada ensaiada teve troca de passes e gol – o quarto – do zagueiro Mina. Dessa vez com o pé.

O Coritiba até conseguiu marcar o seu gol na falha da zaga palmeirense. Foi praticamente o único chute a gol. Mas a equipe do Alto da Glória foi incapaz de buscar o empate.

Já o Palmeiras das “bolas aéreas” desperdiçou inúmeras chances de ganhar o jogo com “bola rolando”. Só Gabriel Jesus perdeu uns quatro gols. Dudu também. Até Tchê Tchê, que recebe com frequência bolas na meia lua, mas não tem o pé calibrado para o arremate final.

Nada, contudo, que abale a equipe. O Palmeiras vai pra cima dos adversários em busca das vitórias. Venham elas de arremessos laterais ou da troca de passes.

anuncio-tsm-posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *