Câmara Municipal de Curitiba amanhece sitiada e impedindo o acesso dos servidores em greve

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

BOLETIM DA GREVE | Os sindicatos e os vereadores se reuniram na Câmara Municipal de Curitiba com o vereador Serginho do Posto, presidente da casa, para tratar sobre o acesso ao plenário da Câmara. O Palácio Rio Branco amanheceu cercado por grades para impedir acesso dos servidores municipais contrários ao pacotaço do prefeito Rafael Greca.

Para impedir acesso, o presidente alega que o laudo do Corpo de Bombeiros limita a 80 pessoas. Além disso, os vereadores não querem nem um tipo de manifestação durante os debates da lei.

Servidores públicos municipais de Curitiba iniciaram greve por tempo indeterminado nesta segunda-feira, 12 de junho. Foto: Joka Madruga

No entanto, a Câmara Municipal não tem alvará e nem laudo do Corpo dos Bombeiros que confirmem esses números. Além disso,os governistas querem destinar vagas a entidades patronais e associaçõesque não tem relação com a votação. Essa manobra dimuniu as vagas aos municipais.

“Podemos ser autoritários falando manso. Os projetos interessam aos servidores e eles estão sendo impedidos de assistir”, reclama a vereadora Josete.

O presidente Serginho do Posto teme um novo “29 de abril”, quando professores estaduais foram massacrados pelo governo Beto Richa na votação que retirava 2 bilhões de reais do ParanáPrevidência. A “medida preventiva” foi duramente criticada. “Vocês estão criminalizando os servidores. Isso é uma calúnia”, protestam as entidades.

 

Vereador Serginho do Posto. Foto: Manoel Ramires

PROJETOS
Os projetos a serem votados na terça-feira congelam salários, plano de carreiras, sacam R$ 600 milhões do IPMC e aumentam alíquota, além da criação da Lei de Responsabilidade Fiscal Municipal que achata os investimentos em serviço público.

Por Manoel Ramires
Foto: Joka Madruga
Terra Sem Males

Um comentário em “Câmara Municipal de Curitiba amanhece sitiada e impedindo o acesso dos servidores em greve

  • 13 de junho de 2017 em 11:37
    Permalink

    Veja como estes políticos etão acabando com o Brasil , é tão grande a corrupção que estamos pagando caro por isso , na minha cidade também aconteceu isso , o prefeito retirou o superávit financeiro do fundo previdenciário para reforçar o caixa e garantir verbas para pagamento dos salários dos servidores públicos municipais. Com isso vamos ser prejudicados pagamos por nossa previdência ,depois vai faltar dinheiro e com certeza quem vai pagar vai ser nós servidores , pois além de querer achatar nossos salário vamos que contribuir por mais tempo e pagar um desconto maior para cobrir o buraco.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *