Cinco maiores bancos do país lucraram juntos R$ 35,6 bi no 1º semestre

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Relatório sobre desempenho dos bancos demonstra lucro em alta num cenário de retração na economia.

Num cenário de conjuntura econômica de recessão, muito além da crise iniciada em 2015, que teve como consequência 12 milhões de desempregados no país, relatório do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulga o relatório Desempenho dos Bancos referente ao 1º semestre de 2017. “O quadro é de forte restrição e desestímulo ao crédito produtivo e para as famílias, o que retarda a retomada do crescimento”, diz o documento.
 
O estudo contém dados do balanço financeiro dos cinco maiores bancos que atuam no país: os privados Itaú, Bradesco e Santander, e os públicos Banco do Brasil e Caixa.  Juntos, somaram lucro líquido de R$ 35,6 bilhões somente nos seis primeiros meses do ano e esse montante é 27,1% maior que o obtido no mesmo período de 2016.
 
Dessas instituições, as que apresentaram proporcionalmente maior crescimento de lucro foram os públicos Caixa (alta de 69,2% no comparativo com o período em 2016) e Banco do Brasil (alta de 67,3%). Esses incrementos foram acompanhados de crescimento das receitas com prestação de serviços e tarifas cobradas da população.
 
Outros dados que impressionam além do crescimento substancial do lucro é que os cinco maiores bancos já detêm 87% das operações de crédito do país mas o saldo das carteiras de crédito dos cinco maiores bancos permaneceu praticamente estável na média por conta do cenário de “forte retração da atividade econômica sobre o nível dos investimentos, do emprego e da renda no país desde o início de 2015, com significativa redução na demanda por crédito”, juntamente com a ação deliberada dos bancos de desacelerar a oferta de crédito, tanto dos privados quanto nos públicos que, de acordo com o Dieese, estão seguindo a lógica dos bancos privados de restringir o crédito e aumentar os juros, sem a preocupação de incentivar a atividade econômica e o consumo.
 
O Itaú Unibanco tornou-se o maior banco do país, passando o BB, com Ativo Total de R$ 1,45 trilhão (alta de 3,7% em 12 meses). O relatório também menciona o Itaú como líder mundial entre as instituições com maior rentabilidade, de acordo com estudo da Economática. Bradesco, Banco do Brasil e Santander também estáo nessa lista de 25 empresas que possuem ativos totais acima de US$ 100 bilhões, sendo elas instituições financeiras ou de outras atividades.
 
Outro item que influenciou o lucro líquido dos bancos nesse período foi um fator que está sendo observado pela Receita Federal, foi a redução de 67% no pagamento de impostos por estas instituições no período, considerando que a cobrança é sobre intermediação financeira, que teve queda, mas bem menor, entre 16% e 24%. Os bancos deixaram de pagar R$ 19,5 bilhões em impostos.
 

Fechamento de agências e de postos de trabalho

 

Itaú, Banco do Brasil e Santander fecharam juntos 738 agências bancárias no período de um ano, entre junho de 2016 e junho de 2017.
 
Já com relação ao emprego bancário, o Bradesco já eliminou 4.779 postos de trabalho, de setembro de 2016 a junho de 2017, depois da aquisição do HSBC, e os dados ainda não contam o total de adesões do PDVE. O Banco do Brasil reduziu 10.012 vagas e a Caixa outras 5.486 no comparativo entre o 1º semestre de 2016 e 2017.

Paula Padilha/SEEB Curitiba

Foto: Joka Madruga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *