Comunidades urbanas e indígenas de Curitiba e Piraquara recebem doação de 5 toneladas de alimentos

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Produtos foram doados pelo MST, Terra de Direitos e Coletivo Ekoa, nesta segunda-feira (13)

Do MST Paraná | Fotos: Joka Madruga/Terra Sem Males

A crise gerada pelo avanço da pandemia do coronavírus afeta principalmente as populações moradoras das periferias de grandes cidades, mas também comunidades indígenas. Às vésperas do Dia do Índio, os povos originários brasileiros estão entre os que precisam de maior atenção para a garantia de alimento na mesa.

Cerca de 5 toneladas de alimentos de comunidades Sem Terra foram doadas a estes dois públicos nesta segunda-feira (13), em Curitiba e Piraquara, no Paraná. A ação faz parte da campanha nacional de solidariedade do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) com as populações mais afetadas pela crise econômica gerada pelo Covid 19. Além da contribuição do MST, a doação foi feita pela organização de direitos humanos Terra de Direitos, grupo de pesquisa Na Luta – UFPR e pelo Coletivo Ekoa.

Foto: Joka Madruga / Terra Sem Males / MST Paraná

Cerca de 3 toneladas foram divididas entre famílias indígenas das aldeias Kakanē Porã, de Curitiba, e Araçaí, de Piraquara. A aldeia Kakané Porã está localizada no bairro Campo do Santana, região sul de Curitiba. Lá vivem 40 famílias das etnias guarani, xetá e caingangue, somando ao todo 168 pessoas. Já a aldeia Araçaí, de Piraquara, é formada por 30 famílias da etnia Mbyá Guarani.

Comunidades indígenas de Terra Roxa e Guaíra, oeste do estado, também receberam doações de alimentos de assentamentos e acampamentos do MST. Ao todos foram 2 toneladas, entregues na última sexta-feira.

Já as outras 2 toneladas foi destinada às associações de moradores e de carrinheiros das vilas Uberlândia, Formosa, Ferrovila, Vila Leão e Bom Jesus, na zona sul de Curitiba.

Ação de solidariedade em todo o Paraná

Foto: Joka Madruga / Terra Sem Males / MST Paraná

As famílias Sem Terra de acampamento e assentamentos doaram 35,5 toneladas de alimentos em menos de uma semana.

Este volume de produção partiu de comunidades espalhadas pelo Paraná: acampamentos Maria Rosa do Contestado e Padre Roque Zimmermann, de Castro; pré-assentamento Emiliano Zapata, de Ponta Grossa; assentamento Valmir Mota e os acampamentos 1º de Agosto, Dorcelina Folador e Resistência Camponesa, de Cascavel; assentamentos Sepé Tiaraju e Olga Benário, de Santa Tereza do Oeste; acampamento Nova Semente, de Catanduvas; acampamento Maila Sabrina, de Ortigueira (PR); assentamento Eli Vive, de Londrina; assentamento 8 de Junho, de Laranjeiras do Sul.

Uma doação de 60 litros de álcool 70% foi entregue pela Cooperativa de Produção Agropecuária Vitória (Copavi), do assentamento Santa Maria, em Paranacity (PR), ao Hospital Municipal Doutor Santiago Sagrado Begga.

Foto: Joka Madruga / Terra Sem Males / MST Paraná
Foto: Joka Madruga / Terra Sem Males / MST Paraná
Foto: Joka Madruga / Terra Sem Males / MST Paraná

Clique aqui para ler mais sobre reforma agrária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *