Famílias do MST partilham quatro mil pães no bairro Interlagos, em Cascavel (PR)

Compartilhe esta notícia.

A ação faz parte da campanha Natal da Reforma Agrária Popular que ocorreu entre os dias 16 e 23 de dezembro em todo o estado, com a doação de 59,5 toneladas de alimentos

Foto: Diangela Menegazzi

Nesta quarta-feira (23), famílias Sem Terra de Cascavel e região entregaram 4 mil pães caseiros no bairro Interlagos. A ação faz parte da campanha “Natal da Reforma Agrária Popular”, uma iniciativa do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realizada em todo Paraná, entre os dias 16 e 23 de dezembro. Ao todo, 59,5 toneladas de alimentos foram partilhados no estado ao longo da ação.

A atividade começou na Comunidade Imaculada Conceição, com a benção dos alimentos. Depois, os pães foram distribuídos de casa em casa, beneficiando famílias identificadas pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras) como em maior situação de vulnerabilidade.

“A gente sabe que nosso pequeno gesto não resolverá a situação de vulnerabilidade em que muitas pessoas se encontram, mas esta é uma ação pedagógica para todos nós, pois precisamos partilhar o que temos com outras famílias que também lutam diariamente para sobreviver”, afirma Armelindo Rosa da Maia, assentado em Cascavel e integrante da coordenação do MST.

Os 4 mil pães, cada um com cerca de 500 gramas, foram produzidos principalmente por mulheres de quatro padarias do MST. Uma no assentamento Olga Benário, de Santa Tereza do Oeste, e as outras no Assentamento Valmir Mota/Fundetec – Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico e no Assentamento Santa Terezinha, em Cascavel.

Os ingredientes foram doados pelas famílias dos acampamentos Resistência Camponesa, Dorcelina Folador, 1º de Agosto, e pelo assentamento Valmir Motta, ambos de Cascavel; e pelos assentamentos Olga Benário e Santa Terezinha, de Santa Tereza do Oeste.

Seu José Luis do Nascimento tem 74 anos foi uma das pessoas com quem as famílias do MST da região oeste partilharam os 4 mil pães feitos por trabalhadoras Sem Terra nas padarias comunitárias do Movimento. José mora no conjunto Julieta Bueno, é carrinheiro e recolhe materiais recicláveis para complementar o salário mínimo que recebe de aposentadoria, e que partilha com outras cinco pessoas de sua família.

Solidariedade Sem Terra

Desde o começo da pandemia, o MST do Paraná realiza ações de solidariedade com quem enfrenta a fome. Com esta campanha de Natal, o movimento doou 501 toneladas de alimentos, além de 38 mil marmitas em Curitiba e na região metropolitana. Mais de 170 assentamentos e acampamentos, de 80 cidades do estado, participaram de dezenas de iniciativas.

Além da solidariedade, as ações denunciam os índices recordes de desemprego e de fome, e a falta de políticas de fortalecimento da agricultura familiar e da produção de alimentos.

Em outubro, o desemprego afetava 13,8 milhões de pessoas, segundo o IBGE. Os desalentados (que gostariam de trabalhar, mas não procuraram vagas por terem perdido as esperanças) são 5,8 milhões de brasileiros.

A estimativa é de que em janeiro de 2021 a pobreza extrema (pessoas que vivem com US$ 1,90 por dia) deve chegar a 10% e 15% da população brasileira (27,4 milhões de pessoas), de acordo com projeção da Fundação Getúlio Vargas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *