GREVE TEM ADESÃO DE 60% DOS BANCÁRIOS DE CURITIBA E REGIÃO

Compartilhe esta notícia.

Os bancários de Curitiba e região iniciaram às 0h00 desta terça-feira, 06 de outubro, greve por tempo indeterminado. A paralisação foi deliberada em assembleia na última quinta-feira, dia 01, e segue a orientação do Comando Nacional dos Bancários, para que funcionários de bancos de todo o país cruzem os braços.

De acordo com levantamento do Sindicato dos Bancários de Curitiba e região, neste primeiro dia 60% da categoria aderiu à greve. A estimativa considera a paralisação das atividades de 173 agências e 11 centros administrativos de bancos públicos e privados.

Em Curitiba e região trabalham 18.525 bancários (dados do Caged de agosto de 2015), distribuídos em 539 agências e diversos centros administrativos.

Greve no Paraná

De acordo com apuração da Fetec-CUT-PR, foram 406 agências bancárias estão paralisadas nas bases de Apucarana, Campo Mourão, Cornélio Procópio, Curitiba, Guarapuava, Londrina, Paranavaí, Toledo e Umuarama. Essas bases representam 80% da categoria no Estado. Em todo o Paraná a categoria é formada por 31.514 trabalhadores (Caged/ago2015), distribuídos por 1.592 agências (BC/set2015).


Greve é um direito

O direito de greve é estabelecido pela lei 7.783/89 e pelo Artigo 9 do Capítulo II da Constituição Federal. De acordo com trechos da lei, “é assegurados aos grevistas o emprego de meios pacíficos tendentes a persuadir ou aliciar os trabalhadores a aderirem à greve. É vedado às empresas adotar meios para constranger o empregado ao comparecimento ao trabalho, bem como capazes de frustrar a divulgação do movimento”.

Apoio da população

O Sindicato dos Bancários publicou em seu site informações sobre as reivindicações que visam a melhoria dos serviços prestados à população. É notório que as publicações da imprensa sobre a greve, ano a ano, são tendenciosas para prejudicar o movimento diante da população.

Negociações

As negociações com os representantes dos bancos foram finalizadas no dia 25 de setembro, com a apresentação de uma proposta reduzida, de 5,5% de reajuste de salários e benefícios mais abono de R$ 2.500, para uma inflação de 9,88% no período, e prevendo somente a remuneração.
Uma extensa minuta de reivindicações foi entregue aos banqueiros no dia 11 de agosto, prevendo melhorias nas condições de trabalho, saúde, segurança, igualdade, e rodadas temáticas de negociação foram realizadas nos meses de agosto e setembro. Os itens foram recusados ou ignorados na mesa de negociação.
Arte: Sindicato dos Bancários de Curitiba

 

Para mais informações, acesse os canais oficiais do Sindicato:

Site: www.bancariosdecuritiba.org.br
Facebook: bancariosdecuritiba
Twitter: @bancariosctba

 

Por Paula Zarth Padilha, com informações do Sindicato dos Bancários de Curitiba e região
Terra Sem Males

anuncio-tsm-posts

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *