Índios Arara querem demarcação da terra Cachoeira Seca, no Pará

Compartilhe esta notícia.

Cartaz de divulgação da campanha.

O povo Arara está em campanha, com o apoio do Conselho Indigenista Missionário  (CIMI), pela demarcação da terra Cachoeira Seca, nos municípios de Altamira, Uruará, Placas e Rurópolis, no Pará.

Na região, ao menos cinco áreas indígenas não estão demarcadas e regularizadas, procedimento demorado que estabelece a real extensão da posse indígena, proteção aos limites demarcados e impede a ocupação por terceiros.

Os Araras são formados por uma pequena população de menos de 100 índios e já foram considerados extintos na década de 1940. Após a construção da Transamazônica, na década de 1970, foram redescobertos.

O Conselho Indigenista Missionário relata que alguns conflitos colocam em risco a aldeia Iriri, da qual os índios Arara são parte, como iminente invasão de território por grilheiros e fazendeiros, assentamentos irregulares, extração ilegal de madeira, posseiros, pescadores e construção da UHE Belo Monte. “Os índios se sentem acuados em seu próprio território porque percebem a presença de não-índios”, diz o manifesto da campanha pela demarcação.

Outros riscos são a insegurança alimentar, pela diminuição de recursos naturais que também são obtidos por não índios, recrutamento para trabalho, alcoolismo e uso de drogas e aumento de DSTs.

Saiba mais: Todo apoio à demarcação da terra indígena do Povo Arara

Por Paula Padilha, com informações de Joka Madruga
Terra Sem Males.

O repórter fotográfico Joka Madruga está em Altamira (PA) pelo projeto Águas para a Vida. As informações estão sendo publicadas em seus perfis nas redes sociais e no portal terrasemmales.com.br. Para contribuir, acesse jokamadruga.com/aguas. 

Um comentário em “Índios Arara querem demarcação da terra Cachoeira Seca, no Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *