*Jornaldo – Relatos de superação: dor, dog, cerveja e cueca

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Quantas vezes já vi isso no futebol! Cortes de jogadores durante competições importantes! É difícil receber uma negativa quando se está na expectativa ‘daquela’ partida decisiva!

Foi o que aconteceu com a jogadora Camila Barbieri.

No mundo do futebol não se fala em outra coisa: será que a atleta do time ‘Boleragem’ jogará a Copa? Sua assessoria garante que ela estará na final do Sindijorzão. Agora é ver pra crer…

Camila sofreu uma torção no tornozelo, assim como Neymar. Camila teve que sair de quadra, assim como Neymar de campo. Mesmo assim, Camila sorriu e distribuiu autógrafos, diferente de Neymar, que chorou e se pronunciou via redes sociais. Camila joga a Copa raiz, campeonato de trabalhadores, Neymar joga torneios financiados por senhores das guerras.

Talvez por isso o mundo considere o Sindijorzão a Copa das Copas. Devido aos exemplos de superação. Como é o caso de Jordana, atleta do time ‘Larga Mão’, que machucou feio o joelho e, após atendimento do sempre atento serviço da ‘SOS Jucelia’, recebeu curativo e voltou para o jogo.

Vale lembrar que nos últimos dias o Sindijorzão tornou-se mais disputado, até perigoso, após o anúncio da nova premiação para os destaques das partidas. A tal da ‘Bendicta’ foi mais comentada que os gols da rodada. Principalmente após o mestre ‘Rogito Cervejeiro’ dizer que se trata de uma “cerveja dois maltes e quatro lúpulos”.

Legal, né? Tudo muito legal, tudo muito bonito… mas o que ninguém poderia imaginar é que, por trás de todo esse alvoroço cervejeiro, estava uma manobra extra campo com o objetivo puro malte de desestruturar uma das equipes do Sindijorzão.

A verdade é a seguinte: ‘Maltmann’, conhecido CEO do time ACE, responsável pela “cerveja dois maltes e quatro lúpulos”, teria, ao lado do seu time, uma difícil partida contra o Refugos, equipe que vem incomodando na Copa.

‘Maltmann’ achou que ao premiar com ‘Bendicta’ o melhor da partida, criaria um desentendimento interno no Refugos, time conhecido internacionalmente por apreciar maltes e lúpulos. Esta estratégia funcionou em todas as outras partidas do Sindijorzão, menos no jogo ACE x Refugos. O que ‘Maltmann’ não contava era com a sobriedade do craque ‘Thiago Bico Fino’, que tem como hábito refinado trocar cerveja por água. Resultado: Refugos 8 x 5 ACE.

E já que eu falei em sobriedade, nada mais ‘sóbrio’ do que a ausência do CEO do Sensacionalistas da segunda rodada da Copa. O tal do ‘Cavadinha’ não deve ter vida fácil nos próximos dias, principalmente porque ele está diretamente envolvido no corte de um dos principais jogadores do futebol brasileiro: ‘El Mago de Andirá’.

Em todos esses anos na crônica esportiva, confesso: achava que o mais injusto corte da história do futebol tinha acontecido com Romário, quando perdeu a disputa da Copa de 1998. Mas, pra minha surpresa, eis que chega a notícia de que, injustificavelmente, ‘El Mago de Andirá’ não jogará o Sindijorzão 2018.

Pra quem não sabe, ‘El Mago’ é um ala armador daqueles que usam a canhotinha pra fazer estripulias contra os adversários. Ídolo em Andirá, sua cidade natal, no estado do Paraná, ele havia negociado sua participação na Copa por intermédio de ‘Cavadinha’.

Quando ‘El Mago’, de mala e cuia, chegou a capital paranaense pra jogar sua primeira Copa, foi cortado inexplicavelmente. Pra piorar sua situação, perdeu a janela de transferência e, a partir de agora, considero esse o corte mais injusto da história do futebol.

Mesmo assim, ‘El Mago’, seguindo a cartilha do jogador raiz, se superou. Longe de Andirá, ele resolveu atuar como repórter fotográfico do Sindijorzão. Agora todos o chamam de ‘Joka’… não me pergunte a razão…

Cheguei a comentar com ele que se fosse comigo eu faria um bar com todas as portas do banheiro com o ‘Cavadinha’ desenhado. Assim como sugeri pro Romário e ele fez com Zagalo e Zico.

Quando vejo ‘El Mago’ caminhando solitário pelas laterais das quadras do Sindijorzão, penso que ele poderia estar nos presenteando com sua qualidade futebolística, mas, graças ao ‘Cavadinha’, o sonho não se concretizou.

Mesmo assim, agora com o codinome ‘Joka’, desenvolve um papel fundamental na cobertura da Copa. Além disso, transmite a todos, através do seu olhar, calma e sobriedade. Não tanto quanto o ‘Vovô Dog’, mascote do Sindijorzão; mas com a mesma leveza no caminhar.

Por falar em ‘vovô’, tivemos mais uma polêmica durante a rodada dupla do último domingo. Os atletas da terceira idade moveram uma ação coletiva contra a organização da Copa. De acordo com o Sindicato dos Atletas, a jornada dupla é extremamente agressiva. Relatos de jogadores que tiveram câimbras e cansaço extremo foram levados ao TJD.

Parece que teremos desdobramentos nas próximas rodadas.

E antes de concluir, gostaria de deixar aqui um exemplo da dificuldade que é trabalhar no Sindijorzão, uma espécie de Libertadores da América do futebol raiz.

Nessa competição é preciso estar preparado pra tudo. Caso contrário você vai ficar chocado ao se deparar com depoimentos como esse, dito com total naturalidade: “cara, minha cueca rasgou durante o jogo! Mas não parei. Joguei com ela rasgada mesmo. Com minhas bolas balançando e a cueca entrando no cu”…

Você pode até achar estranho, mas eu também considero isso um exemplo de superação.

 

*Por Jornaldo.

**Conheça a page do Jornaldo no Face!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *