Latinoamericanas chegam ao Brasil de bike em busca de histórias de mulheres transformadoras

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

A uruguaia Agustina Tierno chegou a Curitiba nesta semana em busca de mulheres inspiradoras e transformadoras para seu projeto “Transformadoras en movimiento”. Ela chegou de bicicleta e na próxima semana segue para São Paulo e Rio de Janeiro.

O projeto “Transformadoras en movimiento” é parte de outro maior, chamado “WARMIfonias: Transformações a ritmo de pedal”, criado por quatro mulheres equatorianas que já percorreram 10.000 quilômetros, de bicicleta, por seis países da América Latina (Equador, Peru, Bolívia, Argentina, Paraguai, Brasil). Em comum, também, a procura por historias de mulheres transformadoras. “Nesta aventura elas identificam histórias de mulheres cujas ações contribuem para melhorar a qualidade de vida de seu entorno”, explicam as WARMIfonias.

“O Brasil é quase a metade do continente, é importante para a pesquisa ter exemplos de realidades e culturas diferentes”, explicam as WARMIfonias. “Antes de sair já tínhamos carinho pelo Brasil. Recebemos em Quito alguns ciclistas brasileiros e tínhamos muita curiosidade de conhecer a cultura desses que agora são nossos amigos”, dizem.

Agustina iniciou seu projeto paralelo, mas também unida às WARMIfonias, para contar histórias de mulheres uruguaias e difundir essa experiência em seu país. Ela vai viajar com as warmifonias, as equatorianas Sofía de la Torre, Sofía Gordón, Genevieve Rajoy e Daniela Borja Kaisin.

Além da paixão pela bicicleta, o modal foi escolhido porque o ritmo de andar de bike permite “sentir a cultura” dos lugares onde passam. “O esforço de pedalar faz que as paisagens sejam mais celebradas, as torna mais impressionantes. Também ficamos mais perto das pessoas, é fácil falar com alguém que vá de bike em comparação com o ônibus ou carro. Dá a impressão de que a gente sente a simplicidade e a alegria quando passamos perto”, dizem as WARMIfonias.

Contando histórias de mulheres

Durante o caminho, as WARMIfonias compilam as historias e experiências através do encontro direto, indo às comunidades, identificando também as suas fontes de inspiração e suas características pessoais. “As histórias são divulgadas nas plataformas online do projeto de maneira de difundir as iniciativas e incentivar pra se replicar em outras mulheres de diferentes realidades”, finalizam.

Para acompanhar os projetos “Transformadoras en movimiento” e as “WARMIfonias: Transformações a ritmo de pedal”, acesse aqui.

Por Paula Zarth Padilha
Foto de arquivo: Agustina Tierno
Terra Sem Males

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *