MAIS DE MIL PESSOAS PARTICIPARAM DE MANIFESTAÇÃO POR MORADIA NO CENTRO DE CURITIBA

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Era cedo na manhã que começou nublada e fria. Os gritos de uma multidão ecoavam transformando a rotina do centro de Curitiba na terça-feira (29), provocando a atenção das pessoas que, cotidianamente, passam atrás de seus sonhos. Naquele aglomerado, mais de mil trabalhadores, aposentados, jovens e crianças estavam reunidos justamente por isso, tornar real o sonho de uma moradia própria.

As famílias que constroem o Movimento Popular por Moradia (MPM) ocupam terrenos localizados na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), organizados em três comunidades: Nova Primavera, 29 de Março e Tiradentes. Na luta por melhores condições de habitação, a multidão veio até o centro da capital para lutar pela regulamentação da lei que institui o Programa de Aluguel Social (PAS), a construção de condomínios já negociados com a prefeitura por meio do Programa Minha Casa Minha Vida Entidades e a mediação de conflito fundiário que envolve um dos terrenos ocupados.

Prefeitura Municipal

Os manifestantes se reuniram na Praça 19 de Dezembro. Ao passo que caminhavam pela Av. Cândido de Abreu, o céu se abria, o sol aparecia e esquentava os que ainda não tinham tirados suas blusas de tanto pular e gritar.

A Prefeitura Municipal da capital foi o primeiro ponto de parada. No fim de julho, o prefeito Gustavo Fruet (PDT) sancionou a lei do aluguel social, que consiste em um pagamento para famílias de baixa renda que não têm casa própria e que vivem em situação habitacional considerada de emergência. A lei tem 120 dias, desde a sanção, para ser regulamentada.

Continue lendo 

 

Por Laís Melo
Sindijor PR

 

anuncio-tsm-posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *