Massacre dos professores do Paraná é debatido no Senado

Compartilhe esta notícia.

Audiência no Senado sobre o massacre dos professores. Foto: Mídia Ninja.

Para discutir os excessos da ação policial no Estado do Paraná, na última semana durante uma manifestação realizada pelos professores estaduais, a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado convocou audiência pública: “Confronto entre a Policia Militar e os Professores do Paraná” que acontece neste momento.

O Governador Beto Richa foi convidado, mas não compareceu a audiência. O representante do governo do Paraná na mesa, o Secretário de Juventude Edson Lau, foi ignorado pelos professores presentes na comissão que escutaram a fala de costas e foi chamado de mentiroso pelo senador Roberto Requião que o acusou de “não saber o que foi fazer na comissão para debater”.

O jornalista Luiz Carlos, repórter cinematográfico da Bandeirantes, mordido por um cachorro durante a manifestação, mostrou o vídeo do ataque que sofreu para a comissão e relatou: “O que mais me dói é ver minha filha que queria ser policial dizer que não quer ser policial pra mandar cachorro morder as pessoas. Eu só tava la pra registar e mesmo assim fui atacado por um cachorro e ainda tenho que ouvir do Governador e do Secretário de Segurança que pisei no cachorro, que fui pra cima do cachorro. Então tá, me coloca na cadeia ja que fui o culpado, só quero ter o direito de trabalhar.”

Estão presente a Ordem dos Advogados do Brasil, o Sindicato dos Professores, a Federação Nacional dos Jornalistas, deputados federais e senadores.

Foto: Mídia NINJA
Fonte: Jornalistas Livres

Acompanhe ao vivo pela web: WWW.bit.ly/audienciainterativa

Um comentário em “Massacre dos professores do Paraná é debatido no Senado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *