Movimento por moradia denuncia ameaça de despejo de 800 famílias em ato na Câmara Municipal

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Foto: Camilla Hoshino

Na manhã desta quarta-feira, 20 de maio, mais de 600 militantes do Movimento Popular por Moradia (MPM) fizeram uma manifestação em frente à Câmara Municipal de Curitiba. Além de chamar a atenção do poder público para as ameaças de despejo sobre cerca de 800 famílias da Ocupação Tiradentes, na Cidade Industrial, o movimento pediu o agendamento da Lei do Aluguel Social, que tramita na Casa há mais de dois anos.

Segundo Fernando Marcelino, coordenador do MPM, após reunião com a prefeitura, o prefeito Gustavo Fruet (PDT) garantiu que não irá vetar a proposta. “Gostaríamos de sair daqui com uma data para a votação do Aluguel Social”, pediu na sessão plenária.

O MPM também está cobrando a instauração de uma CPI para investigação de ações ilegais por parte do aterro ESSENCIS, empresa que se diz proprietária do terreno ocupado.

Por Camilla Hoshino
Brasil de Fato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *