Movimento por Moradia protesta em frente ao Leilão Judicial de terreno ocupado

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Assembleia na Ocupação Nova Primavera, em Curitiba, abril de 2015. Foto: Joka Madruga

Cerca de 300 famílias organizadas pelo MPM, Movimento Popular por Moradia, protestam hoje, 03 de agosto, em frente ao local onde ocorre o Leilão Judicial do terreno da Ocupação Tiradentes, que fica ao lado da ocupação Nova Primavera, em Curitiba.

O leilão foi marcado para 14 horas, na Rua Chanceler Lauro Miller, 35, no Parolim. Embora a Juíza que determinou o leilão tenha pedido reforço policial por causa do MPM, o movimento decidiu exercer o direito democrático de manifestação em frente ao local. O motivo do ato não é impedir a realização do leilão, como teme o leiloeiro e a autoridade judiciária.

Ao contrário, o objetivo é alertar possíveis compradores interessados em arrematar a área que ela está ocupada por 800 famílias e vem sendo objeto de depósito irregular de cerca de 700 mil toneladas de lixo, que ainda não foram retirados do local. Todas essas informações não constam no Edital do Leilão, embora sejam exaustivamente mencionadas no processo judicial.

O movimento tentou se manifestar nos autos do processo quanto a este aspecto, mas a Juíza considerou que os moradores da área não são “parte interessada” no caso. Os possíveis compradores, entretanto, são “parte interessada” e, justamente por isso, devem ser informados de que no terreno se encontram uma ocupação já consolidada de 800 famílias e cerca de 700 mil toneladas de lixo depositadas irregularmente pelo aterro sanitário, Essencis.

Por Movimento Popular por Moradia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *