O PSDB pecou

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Partido fala em presidencialismo de cooptação apontando o dedo para o baixo clero da Câmara Federal                   

LADAINHA | O PSDB veiculou propaganda em que tenta fazer um mea culpa na crise em que o país mergulhou. Em seguida, sugere um novo sistema político para o Brasil, empurrando para debaixo do tapete seus problemas. O PSDB diz que errou, mas não revela onde, quando, como e quais as consequências dos seus erros. Os tucanos fizeram uma delação premiada parcial em rede nacional acreditando que a população vai homologar essa conversa mole.

PAU OCO | Mas os pecados do PSDB são muitos. O principal deles é fingir-se de santo. O partido foi aquele capetinha que ficou no ombro direito da democracia dizendo: “você vai dar errado”. É Judas nessa história, uma vez que não aceitou o resultado das urnas e forçou por diversas vias – eleitoral, parlamentar, econômica – a deposição de Dilma Rousseff. Mas esse pecado, o partido não conta aos fiéis.

EXCOMUNGADO | Assim como não confessa, embora todo mundo conheça a missa, que entre seus erros capitais figura seu afastado presidente nacional, Aécio Neves, flagrado pedindo R$ 2 milhões em propina e afirmando que poderia matar a mula que participou da peregrinação. No caso, o primo. Os tucanos querem que a população passe-lhes a mão na cabeça e que recomende rezar um pai nosso e dez aves marias enquanto que, nos bastidores, como de costume, tentam impedir que a investigação sobre Aécio prossiga e ele vá para o purgatório.

DÍZIMO | Aliás, esse pecadilho, não roubarás, é um erro que os tucanos jamais vão admitir. Mesmo com governadores como Marconi Perillo sendo gravado pedindo seu dízimo a empresários, Beto Richa sendo acusado de pegar dízimo da Máfia dos fiscais para financiar sua campanha e Alckmin e Serra sendo envolvidos no desvio de verbas do metrô paulista. Todos fatos esses investigados pela justiça dos homens – não de Deus -, simpática a salvação de aves na Arca da Impunidade.

A OUTRA FACE | Agora, o partido segue pecando, mas fingindo ignorar suas faltas. Fala em presidencialismo de cooptação, talvez apontando o dedo para o baixo clero da Câmara Federal, enquanto seus bispos e arcebispos integram o alto clérigo do governo federal com quatro ministros. O PSDB, tão duro com a corrupção dos “comedores de crianças”, passa a mão na cabeça do presidente Temer, esse tinhoso que mantém privilégios do mercado e judiciário enquanto tira o pão e a água do povo. Para os tucanos, cooptados, é melhor manter no cargo um indivíduo flagrado em corrupção passiva do que realizar uma dura procissão em nome da democracia. Ele açoita o Brasil enquanto perde perdão.

PAGÃOS | E se os brasileiros não os perdoarem, tampouco importa. Basta trocar de igreja – ou de modelo político – afirmando que essa catilina tem aura pura, mesmo sabendo que a comunidade que a compõe, os políticos cooptados, vão continuar recebendo seu dízimo. Só que agora, eles mesmos escolhem seu próprio deus e não mais o povo.

___________
Manoel Ramires
Pinga fogo
Terra Sem Males
Foto: George Gianni/PSDB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *