Organizada do Palmeiras cede empate ao Coxa

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Manolo Ramires
Terra Sem Males, Coluna Avanti Palestrinos

O Coritiba já tinha largado os bets. Passava dos quarenta minutos do segundo tempo e a torcida deixava as arquibancadas decepcionada com o time que não retornara ao campo no segundo tempo. A equipe do Alto da Glória fora encurralada pelo Palmeiras que vencia o jogo após um gol de lateral na falha da defesa. Bandeiras recolhidas, desânimo e vozes roucas nos cânticos, era quase certo os três pontos perdidos.

Eis que o Imponderável de Almeida desceu sobre a torcida organizada do Palmeiras. A mesma facção que arranjara confusão em Brasília, levando o Palestra a ser multado em 80 mil reais e ter que jogar com portões fechados. Ela, a (des)organizada, que quase nunca paga por suas faltas, achou- se no direito de acender sinalizadores verdes e cantar mais forte. Seria linda a festa se desconhecessem que o recurso pirotécnico é vetado pela CBF, aquela dos casos de corrupção. A iniciativa, mais do que abrilhantar o espetáculo, é um protesto contra o “futebol moderno” promovido pelas novas arenas, que retira a espontaneidade das arquibancadas.

A reivindicação é justa. Mas como todo protesto, deve ser inteligente. Tivesse sido feito no começo do jogo enquanto a partida não tinha embalado. Ou no intervalo, enquanto a torcida caseira estava sentada. Ou ainda após o apito final e como forma de celebrar a vitória. Mas não, a organizada queimou seus sinalizadores bem no fim do jogo, ciente que o árbitro interromperia a peleja. O que de fato aconteceu.
Os cinco minutos de interrupção serviram para o Coritiba se reorganizar e inflamar a esperança de empate.

Os fogos chisparam naturalmente enquanto outra parte da torcida palmeirense gritava: “apaga, apaga”. Pois bem, a faísca findou, o árbitro deu seis minutos de acréscimo e o coxa dos chutões e bolas paradas arrancou o empate em um golaço de fora da área. De novo à arquibancada, a torcida desorganizada aplaudia ironicamente a forcinha dada pelo ego daqueles que acham poder tudo nas arquibancadas. As luzes do estádio se apagaram e o Palmeiras retornou para casa deixando em Curitiba dois pontos por causa da falta de clareza de sua torcida.

anuncio-tsm-posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *