Parlamentares visitam Vigília contra despejos no Paraná e almoçam com famílias acampadas

Compartilhe esta notícia.


A Vigília em Cascavel cobra o direito a terra e moradia para mais de 7 mil famílias acampadas no estado

Por Ana Paula Schreider
PT Paraná

Há 70 dias, a Vigília Resistência Camponesa luta contra os despejos promovidos pelo governador Ratinho Jr. no estado do Paraná. Localizada em Cascavel, a Vigília é encampada por famílias do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).

Nesta sexta-feira (6), a Vigília recebeu a visita de parlamentares e lideranças do PT Paraná, entre eles: Gleisi Hoffmann, presidenta do PT e deputada federal; Enio Verri, líder do PT na Câmara e deputado federal; Zeca Dirceu, deputado federal; Arilson Chiorato, presidente do PT-PR e deputado estadual; Professor Lemos, deputado estadual e líder da Oposição na Alep; e do vereador Paulo Porto, pré-candidato a prefeito pelo PT em Cascavel.

A presidenta do PT e deputada federal Gleisi Hoffmann, declarou total apoio do PT à luta dos agricultores e agricultoras do MST. “Estamos aqui para defender o direito da terra, o acesso a terra e a produção. Viemos dar nossa solidariedade ao MST, que está em vigília para chamar a atenção à violência que tem no campo e a essa tentativa de retirá-los da terra onde estão. Aonde tiver a luta do povo, aonde tiver luta pela vida e pela produção nós estaremos juntos e juntas”.

O líder do PT na Câmara, deputado federal Enio Verri, criticou o governador Ratinho Jr. pelos despejos que está promovendo no Paraná. “São 70 dias de resistência, mas principalmente de denúncia. Pessoas e famílias que estão há anos produzindo na terra, sustentando sua família, agora são ameaçadas de serem expulsas. Infelizmente, essa política é voltada aos interesses de governos como o de Bolsonaro e Paulo Guedes, que estão em defesa do mercado financeiro e contra os interesses do povo brasileiro”.

O deputado federal Zeca Dirceu destacou que vai dar voz a esta luta em Brasília. “Quero me somar à todos que lutam para poder produzir, gerar renda e colocar alimento na mesa de cada brasileiro e brasileira. Tenho certeza que com fé, luta e coragem todo esse processo de despejo será interrompido”.

O presidente do PT-PR, deputado estadual Arilson Chiorato, afirmou que o movimento merece todo o respeito. “Estamos em Cascavel para mostrar nossa solidariedade a esta causa tão nobre e importante que é o acesso à terra e o direito de uma vida digna. Direito este que hoje é sufocado por um governador e um presidente da República que perseguem estes movimentos sociais tão importantes”.

O deputado estadual Professor Lemos já esteve anteriormente na Vigília e lembra que defender a reforma Agrária é defender a vida. “Quero parabenizar todos e todas que lutam pela Reforma Agrária, que fazem esta Vigília e que fazem a resistência. Eles querem o apoio do poder público, o apoio da população para fazer com que a terra cumpra com a sua função, que é produzir alimentos de qualidade para todos e todas”.

A VIGÍLIA
A mobilização dos agricultores e agricultoras acampadas começou no dia 28 de dezembro de 2019, e se manteve diariamente entre 10h e 15h, às margens da BR 277, KM 557. A ação teve início para denunciar os despejos e ataques do Governador Ratinho Júnior (PSD) contra três comunidade: Resistência Camponesa, Dorcelina Folador e 1º de Agosto, localizados no complexo de fazendas Cajati. Os acampamentos existem há cerca de 20 anos e são formados por 212 famílias, num total de 800 pessoas, entre elas aproximadamente 250 crianças.

No último mês, a Vigília tem passado por uma ampliação do seu objetivo: para além de reivindicar a permanência das famílias acampadas em Cascavel, passa a divulgar e cobrar o direito à terra e à moradia para as mais de 7 mil famílias acampadas em cerca de 80 ocupações rurais no estado. Em 2019, o governo do Paraná despejou 9 acampamentos, deixando mais de 500 famílias sem moradia e local de produção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *