Professores, agentes, funcionários da saúde acampam no Centro Cívico contra congelamento de salários

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Vigília da data-base reúne Fórum das Entidades Sindicais e servidores públicos do Paraná de diversas categorias pelo pagamento de reajuste salarial, que está congelado desde 2016

O Fórum das Entidades Sindicais (FES), que articula os diversos sindicatos de trabalhadores vinculados ao Governo do Paraná, ergueu acampamento na última segunda-feira, 11 de junho, em frente ao Palácio Iguaçu, no Centro Cívico, em Curitiba. Os trabalhadores exigem da governadora Cida Borghetti (PP) a retomada do pagamento da reposição da inflação e o envio do projeto de lei concedendo o benefício para votação na Assembleia Legislativa do Paraná.

A data-base para reposição anual das perdas da inflação nos rendimentos dos(as) servidores(as) públicos do Paraná é no mês de maio. Desde 2016 o funcionalismo do Poder Executivo – professores(as) e funcionários(as) de escolas, funcionários(as) da saúde, agentes penitenciários(as), policiais e outras categorias – estão com os salários congelados por decisão do ex-governador Beto Richa (PSDB). A dívida com os(as) trabalhadores já está acumulada em quase 12%.

Os servidores estão acampados porque nem os 2,76% de reajuste referentes à reposição da inflação dos últimos 12 meses o governo de Cida Borghetti pretende pagar. Com a instalação do acampamento, a pressão dos servidores fez com que o presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traino, retirasse da pauta de votação os projetos de reajuste do Legislativo, Tribunal de Justiça, TCE, MP e Defensoria Pública, com suspensão até a próxima segunda-feira, 18. Os demais servidores continuam de fora da pauta.

Os servidores do Executivo reivindicam que tais projetos só sejam votados quando a governadora Cida Borghetti enviar para a ALEP o projeto para o pagamento da data base deles. A exigência é de isonomia com os demais poderes. “Não somos contra o pagamento aos demais servidores. Queremos apenas ser tratados com o mesmo respeito que os trabalhadores do Legislativo e do Judiciário”, explica o presidente do SINDARSPEN, Ricardo Carvalho.

Somente os servidores do Executivo  – professores(as), funcionários(as) da educação, agentes penitenciários, servidores da saúde, policiais, entre outros da ativa e aposentados(as) – , estão com os salários congelados desde 2016, quando o governo Richa deixou de cumprir a lei e não pagou mais a reposição inflacionária.

De acordo com o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão, os estudos orçamentários já comprovaram que o Estado tem condições financeiras e legais para cumprir o pagamento da reposição. Ele explica que o funcionalismo permanece em vigília para cobrar da governadora o imediato atendimento da reivindicação em respeito aos(às) servidores(as) e a população do Paraná.

A chamada Vigília da data-base realiza atividades de formação, como o debate realizado na noite de terça-feira, 12 de junho, com educadores e a comunidade sobre a mercantilização da educação e o papel do cidadão na defesa da educação pública, gratuita e de qualidade. Acesse aqui para saber mais sobre o debate.

Saiba mais sobre a Vigília da data-base dos servidores públicos estaduais acompanhando a cobertura dos diversos sindicatos de servidores públicos estaduais:

Sindarspen

SindiSaúde

APP Sindicato

Com informações do FES, APP, Sindarspen e SindSaúde
Foto: APP Sindicato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *