Protesto de caminhoneiros atinge mais de 30 rodovias com pontos de bloqueio no Paraná

Compartilhe esta notícia.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Nesta terça-feira, 24 de fevereiro, mais de 30 rodovias (federais e estaduais) que cortam o Paraná estão bloqueadas por uma manifestação nacional de caminhoneiros. De acordo com informações do jornal Folha e S. Paulo, o protesto inclui diversos pontos, como o aumento no valor do frete; alterações na chamada “Lei do caminhoneiro” quanto à jornada de trabalho e isenção de pedágio em situações específicas; diminuição no preço do diesel; melhorias nas condições estruturais das rodovias; prorrogação do parcelamento para compra de caminhões via BNDES.

A manifestação atinge seis estados e no Paraná postos de combustíveis do interior alegam estarem sem gasolina para venda e aumentaram o valor de venda ao consumidor. Em algumas cidades, os moradores já sentem o desabastecimentos de laticínios e produtos perecíveis, como frutas e verduras.

Em Clevelândia, cidade do Sudoeste do Paraná com 10 mil habitantes, os dois trevos de acesso foram fechados para caminhões, que se mantém enfileirados sem descarregar suas cargas. Os moradores já sentem falta de leite, frios, frutas e verduras, além do combustível. A expectativa é que falte carne nos próximos dias. Para os produtos que ainda estão disponíveis nas prateleiras, os mercados aumentaram os preços de revenda.

A Confederação Nacional dos Transportes Autônomos (CNTA) informou que pediu uma reunião com o governo federal para debater as reivindicações. A Advocacia-Geral da União (AGU) entrou com processos na Justiça Federal para pedir liberação das rodovias bloqueadas.

Mesmo com o protesto, carros de passeio, de transporte de passageiros e ambulâncias são liberados para circulação.

 (Atualizada às 16h)

Paula Padilha, com informações de agências.
Terra sem Males

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *