Seminário Economia de Francisco e Clara: juventudes da América Latina e Caribe refletem alternativas econômicas ao capitalismo

Compartilhe esta notícia.

O seminário “Economía de Francisco y Clara para América Latina e Caribe”, que acontecerá online nos dias 7 e 8 de novembro, propõe escutar as alternativas econômicas que brotam do sul global. Em sintonia com o evento convocado pelo papa Francisco, que acontecerá virtualmente em Assis, na Itália, a iniciativa Latino Americana e Caribenha surge como contraposição a um “modelo económico basado en las ganancias” (cf. FT 22).



No dia 24 de outubro, aconteceu o IV Encontro dos Movimentos Populares com o Vaticano. Na ocasião, jovens apresentaram as propostas dos movimentos e organizações populares de todo o globo para o Encontro da Economia de Francisco [e Clara]. Durante o encontro, que contou com a presença dos cardeais Michael Czerny e Peter Turkson, se apontou preocupações com os setores econômicos que pretendem se apropriar da proposta econômica franciscoclareana. “Identificamos que determinados sectores procuram domesticar o seu pensamento [do Papa] e espartilhá-lo nas estreitas margens da administração do existente”, ressaltou o documento entregue ao Vaticano. “Entre estes, perpetradores dos mais atrozes crimes ambientais e sociais pretendem até salvar as aparências, financiando alguns eventos em seu nome”.

Em consonância com a elaboração e lançamento do texto, o presente seminário específico para o continente pretende refletir alternativas sistêmicas de desenvolvimento. Debatedores trarão reflexões e práticas que reflitam de forma integral sustentabilidade, desenvolvimento e justiça social. No debate proposto para o primeiro dia do seminário, João Pedro Stédile, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e Irene León, da Rede de Intelectuais, Artistas e Movimentos Sociais em defesa da Humanidade, comporão a mesa “La Crisis del Capitalismo y las Alternativas Econômicas”. O teólogo e filósofo Leonardo Boff, juntamente com a Elisbeth Torres, do 27 de outubro, movimento da região amazônica da Venezuela, compõem a mesa do segundo dia com o tema “Amazonia y la Soberanía de los Pueblos”, em uma reflexão sobre a Pan-Amazônia, território usurpado em seus biomas e saberes em distintas fases exploradoras da América Latina.

Alternativas que brotam dos territórios

Um outro mundo já não é apenas possível, se não necessário. Às alternativas econômicas ao capitalismo monopolista e neoliberal – hegemonizado pelas finanças – não será obra do grande capital. São os povos, as mulheres, as comunidades, os trabalhadores através das suas organizações sociais, que construirão – no presente e o futuro – as condições de superação desse modelo e de avanço para uma economia pós-capitalista.

O seminário “Economía de Francisco y Clara para América Latina e Caribe” é organizado por um coletivo de movimentos sociais e eclesiais da América Latina em consonância com o encontro que acontecerá em Assis, Itália, convocado pelo papa Francisco para “estabelecer um “pacto” para mudar a economia de hoje e dar alma à economia de amanhã”. O papa Francisco convocou esse evento para debater, pensar e avaliar novos modelos econômicos.



Os jovens inscritos no encontro com o Papa Francisco se angajam ao prepararem o seminário formativo e afirmarem, através do documento elaborado, que a Economia de Francisco e Clara é anticapitalista: “(…) queremos propor uma visão que consideramos em sintonia com a radicalidade dos seus ensinamentos (do papa Francisco), e com a natureza revolucionária da fé cristã”, pontua o texto. “Queremos também colaborar para construir e dar visibilidade a experiências alternativas de ser e trabalhar, de usufruir dos bens da natureza, que não respondam à racionalidade do deus dinheiro, mas sim à necessidade do bem viver do nosso povo”.

Serviço:

O que: Seminário “Economía de Francisco y Clara para América Latina e Caribe”
Quando: 7 e 8 de novembro de 2020
Organização: Movimentos Sociais e Eclesiais da América Latina
Onde: Além dos links abaixo, o seminário será transmitido pelas redes sociais das organizações parceiras do evento.

Link de transmissão (07/11): https://youtu.be/g8tLXlbhcqk
Link de transmissão (08/11): https://youtu.be/hoV2OHGtbrA

Organizações que apoiam o seminário:

1. Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM), Brasil

2. Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Brasil

3. Movimento dos Pequenos Agricultores, Brasil

4. ALBA, Nuestra América

5. Levante Popular da Juventude, Brasil

6. CTEP, Argentina

7. Região Episcopal Nossa Senhora do Rosário (RENSER, Arquidiocese de Belo Horizonte)

8. Rede Igrejas e Mineração, Nuestra América

9. Articulação Brasileira pela Economia de Francisco e Clara, Brasil

10. Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM) – Brasil

11. Movimento Católico Global pelo Clima

12. SINFRAJUPE, Brasil

13. PAPDA, Haití

14. Cáritas Nacional, Brasil

15. Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Brasil

16. Católicos Contra o Fascismo

17. Campaña de Desinversión en Minería

18. Serviço Pastoral do Migrante (SPM), Brasil

19. Comissão Pastoral da Terra (CPT), Brasil

20. Cáritas Regional Minas Gerais, Brasil

21. Semana Social Brasileira, Brasil

22. Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Brasil

23. Coletivo das Pastorais do Campo, Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *