Site Terra Sem Males é objeto de estudo de caso de mestrado de Comunicação e Linguagem da UTFPR

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Por Paula Zarth Padilha
Terra Sem Males

O site Terra Sem Males (www.terrasemmales.com.br) é objeto de estudo no projeto de mestrado da jornalista Vanuza Santos, que apresentou, na manhã desta quinta-feira, 11 de agosto, o andamento de sua pesquisa durante o 1º Seminário de Linguagem e Tecnologia, evento organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Tecnologia (PPGEL) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Vanuza explicou que o objetivo é abordar as diferenças de tema, público e linguagem entre a comunicação popular e a convencional, considerando a comunicação popular uma ferramenta de empoderamento, para mostrar de que forma pode mediar voz e cidadania. A pesquisa pretende verificar em que medida o uso da tecnologia é útil.

O Terra Sem Males é o objeto de estudo por ser um site independente e alternativo que atua como meio de campo, divulgando necessidades para a sociedade. “O site será estudado para pensar a mídia do veículo popular como alternativa, para cobrir a lacuna que a comunicação convencional não divulga”, disse Vanuza. Serão utilizados autores de teoria da comunicação e estudos de linguagem para embasar o estudo.

O título da pesquisa é “Novas tendências da comunicação popular no contexto das tecnologias da informação: um estudo de caso do site Terra sem Males”, sob orientação do Prof. Dr. Marcelo Fernando de Lima, que também é jornalista. Ele destacou que no Terra Sem Males também deve ser utilizado o estudo da imagem e do discurso fotográfico como linguagem.

 

Os professores doutores Marcelo Lima e Maurini Souza acompanharam a apresentação de Vanuza Santos. Foto: Paula Zarth Padilha
Os professores doutores Marcelo Lima e Maurini Souza acompanharam a apresentação de Vanuza Santos. Foto: Paula Zarth Padilha

Para a Profa. Dra. Maurini Souza, debatedora da pesquisa durante o seminário, o trabalho tem uma grande responsabilidade pois está levando uma voz de pessoas que têm resistido na comunicação. “A pesquisa pode mostrar que é uma comunicação possível na grande mídia”, destacando que o trabalho do jornalismo alternativo que media a voz dos povos e dos trabalhadores cobre um espaço que não é abordado pela mídia convencional.

O Terra Sem Males vai acompanhar o andamento da pesquisa e se orgulha de se tornar referência acadêmica pelo jornalismo inclusivo.

Mestrandos presentes no Seminário. Foto: Paula Zarth Padilha
Mestrandos presentes no Seminário. Foto: Paula Zarth Padilha

anuncio-tsm-posts

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *