Urbs se nega a negociar e trabalhadores continuam em greve

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Grevistas permanecem na rodoviária. Foto: Vanda Moraes.

Os trabalhadores da URBS/SETRAN entraram, hoje, 29 de julho, no terceiro dia de greve. A liminar da Justiça, determinando o contingente mínimo de trabalhadores em atividade está sendo cumprida.
Apesar de a paralisação das atividades da empresa ter sido iniciada ainda na segunda-feira, apenas uma reunião de negociação das reivindicações foi realizada entre a URBS e a direção do Sindicato.

Nessa reunião, a empresa apresentou a proposta que consistia em os trabalhadores suspenderem a greve a aguardarem até o dia 10 de agosto, quando seria apresentada uma contraproposta de reajuste dos salários e benefícios.

Por ampla maioria, os trabalhadores decidiram, em assembleia realizada na manhã de ontem, pela rejeição dessa proposta e pela continuidade da greve.

Desde então, a direção da URBS não apresentou qualquer proposta ou sinalizou que está buscando atender às reivindicações dos trabalhadores. A empresa sequer entrou em contato com o SINDIRUBANO-PR ou agendou reunião buscando a negociação para a construção de um Acordo que possibilite o fim da greve.

Desde o início da negociação coletiva até a deflagração da greve, em março de 2015, foram realizadas várias reuniões de negociação entre o Sindicato e a URBS. Ocorreram ainda, três mesas redondas junto à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE).

Em nenhum desses momentos o  presidente da URBS esteve presente. Além disso, o diretor administrativo e financeiro da URBS, responsável pela negociação coletiva na ausência do presidente, entrou em férias no momento mais importante da negociação, quando os trabalhadores decidiram entrar em greve.

A direção do SINDIURBANO-PR encaminhou, no dia 1º de julho de 2015, ofício ao prefeito de Curitiba solicitando reunião para tratar do Acordo Coletivo de Trabalho 2015/2016 da URBS. Até o presente momento, o Sindicato não recebeu nenhuma resposta do prefeito Gustavo Fruet.
Mais uma vez, a direção da URBS e o prefeito demonstram não estar preocupados com a prestação adequada dos serviços públicos à população de Curitiba.

Atendimento à população
O SINDIURBANO-PR vem denunciando a defasagem do quadro de funcionários da URBS/SETRAN, com a necessidade de contratação urgente de mais trabalhadores para a prestação de serviços de qualidade à população sem sobrecarga de trabalho.

Com a greve, os trabalhadores que estão cumprindo a liminar desenvolvem apenas as atividades básicas e emergenciais.

Ou seja, o trânsito e o estacionamento regulamentado não estão sendo fiscalizados de forma efetiva. A manutenção das estações tubo, dos equipamentos urbanos e a sinalização viária também não foram realizadas adequadamente nesses três dias.

Além disso, a limpeza dos equipamentos urbanos, como a Rodoferroviária e o Shopping Popular e o atendimento no cartão transporte e no passe escolar também estão sendo feitos com número muito reduzido de trabalhadores.

Por Vanda Moraes
Sindiurbano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *