13 fotos do ato contra homofobia que pediu justiça para jovem camponês assassinado

Compartilhe esta notícia.

Lindolfo tinha 25 anos e foi assassinado no dia 30 de abril, em São João do Triunfo no interior do Paraná

Na manhã deste sábado (8), um protesto cobrou justiça pela morte do jovem camponês Lindolfo Kosmaski, assassinado no último dia 30 de abril. O ato aconteceu no município de São João do Triunfo, região sul do Paraná, onde o corpo de Lindolfo foi encontrado carbonizado e com dois tiros.

O ato organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), APP-Sindicato, Conselho Permanente de Direitos Humanos do Paraná (Coped-PR) e outros movimentos populares e sociedade civil denunciou a homofobia existente na sociedade. Indícios apontam que foi um crime de ódio.

Segundo o relatório divulgado pelo Grupo Gay da Bahia, 329 pessoas LGBTI mais sofreram de morte violenta no Brasil, somente em 2019. Foram 297 homicídios e 32 suicídios. Isso é equivalente a 1 morte a cada 26 horas. Além do caso de Lindolfo, em Curitiba mais duas pessoas foram vítimas de crimes violentos somente nesta semana.

Um jovem sonhador

Lindolfo tinha 25 anos, era estudante egresso da turma de Licenciatura em Educação do Campo da Escola Latina Americana de Agroecologia (ELAA), localizada no assentamento Contestado, no município da Lapa (PR). Participou de diversas atividades de formação do MST, como cursos e encontros do Coletivo LGBT Sem Terra e Jornadas de Agroecologia.

Atuava como professor na rede estadual de ensino no Paraná e na última eleição municipal concorreu a vereador pelo Partido dos Trabalhadores (PT) no município de São José do Triunfo. Além disso, estava dando sequência aos estudos cursando mestrado no Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e em Matemática na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Confira 13 imagens do ato

Todas as fotos foram feitas pelo repórter fotógrafico Joka Madruga

Família do Lindolfo: Adolfo (pai), Roberto, João Alberto, Rosinei Luci (mãe), Beatriz e Rodolfo.
Adolfo, pai
Rosinei, mãe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *