14ª Jornada de Agroecologia inicia nesta quarta-feira, 22, em Irati

Compartilhe esta notícia.

Na próxima quarta-feira (22/07), o município de Irati, região sul do Paraná, sediará pela primeira vez a 14° edição da Jornada de Agroecologia, um dos maiores eventos sobre agroecologia do Brasil. A atividade que tem como lema “Terra Livre de Transgênicos e Sem Agrotóxicos, Cuidando da Terra, Cultivando Biodiversidade, Colhendo Soberania Alimentar”, acontecerá no Centro de Tradições Willy Laars, e reunirá aproximadamente 4 mil pessoas durante os quatro dias.

A Jornada, que é promovida por organizações e movimentos sociais do campo e da cidade e pela Prefeitura Municipal de Irati, reúne agricultores, estudantes, técnicos, pesquisadores, professores, tem como objetivo construir de forma coletiva um Projeto Popular e Soberano para a agricultura, contra as empresas transnacionais do agronegócio.

Está previsto para esse ano a vinda de 70 ônibus de diversas regiões do Brasil e de outros países, como: Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, e do Paraguai. Além de representantes de países da América Latina, como: Argentina, Uruguai, Chile, Equador, Colômbia, Venezuela.

Na programação conferências com João Pedro Stédile- economista e membro da coordenação nacional do MST, com uma análise sobre o capital na agricultura, e Frei Betto- religioso, teólogo e escritor, trazendo elementos filosóficos para a construção de uma sociedade justa.

A programação conta também com cerca de 51 oficinas de trocas de experiência, quatro grandes seminários, depoimentos que expressam a construção de um projeto popular de sociedade, na dimensão da educação, produção, resgate e cultivo de sementes, entre outros.

Nas noites, apresentações artísticas com os grupos musicais, Encantados Trupe Agroecológica, Kundum Balê (Quilombola Paiol de Telha/PR), Fandango Caiçara (Grupo Mandicuera/ PR), Arte da Comédia, entre outros artistas populares que estarão presentes durante os dias do encontro.

Além disso, a Jornada terá a exposição do “Túnel do Tempo: 100 anos da Guerra do Contestado”, que estará aberto ao público em geral no Parque Aquático da cidade, e a “Feira de Sementes e Produtos da Reforma Agrária e da Agricultura Familiar e Camponesa”, no CT Willy Laars.

Histórico
No ano de 2002, na cidade de Ponta Grossa se estabeleceu uma ampla coalizão de Movimentos Sociais do Campo, Organizações da Agricultura Familiar e de assessoria dando início as Jornadas de Agroecologia, uma ação inédita e popular de caráter massivo, denúncia e contraponto ao agronegócio, estudo, socialização da prática e da experiência agroecológica e camponesa.

Realizadas ao longo de mais de uma década, as jornadas anuais passaram a representar a síntese do processo de construção da agroecologia e embate ao agronegócio, consolidando-se como uma escola popular e camponesa permanente, renovada ao longo de cada ano, atingindo seu auge nos quatro dias de encontro.

As Jornadas configuram-se como um espaço de estudo, mobilização e troca de experiências, de distribuição de sementes e alimentos, pautando o debate da importância do alimento saudável, da reforma agrária, da proteção do meio ambiente, da valorização da cultura camponesa, da viabilidade da produção familiar e ecológica.

Ainda que as Jornadas de Agroecologia tenham nascido e se mantenham realizadas em municípios do Paraná, elas atingem uma abrangência internacional em seus aspectos de participação e alcance político.

Veja aqui a programação completa

Fonte: Comunicação Jornada de Agroecologia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *