A síndrome do dois a zero continua no Paraná Clube. A luta também!

Compartilhe esta notícia.

por Marcio Mittelbach
Terra Sem Males, coluna Guerreiro Valente

Para explicar o que ocorreu no jogo do último sábado – 3 a 3 diante do Oeste – vamos a 1999, final do campeonato paranaense contra o Coritiba. O tricolor chegava com a vantagem de fazer dois jogos em casa em um playoff de três partidas. Depois de uma derrota na primeira batalha no Couto Pereira, precisávamos de um empate e uma vitória para ganhar o sétimo título em dez anos de existência.

O segundo confronto foi na Vila Olímpica do Boqueirão, dia 7 de julho, uma quarta-feira à tarde. Até os 38 minutos do segundo tempo o tricolor vencia por dois a zero. Foi aí que surgiu a síndrome, e o coxa achou os dois gols que mantinham para eles a vantagem do empate no último jogo.

Na terceira partida da decisão, em um Pinheirão lotado, o Paraná chegou rapidamente aos 2 a 0 com gols de Reginaldo Vital e Washington, que recebeu assistência de Fernando Diniz, hoje técnico do Oeste. Viramos o intervalo vencendo por 2 a 1, mas aos 35 do segundo tempo, o raio caía pela segunda vez no mesmo lugar em questão de três dias, dando o título aos verdes depois de dez anos na fila.

Desde então aquela história do “dois a zero é um placar perigoso” ganhou proporções no coração paranista. Pra não ir muito longe, esse ano, em julho, contra o Criciúma, vencíamos por dois a zero e tomamos a virada em questão de vinte minutos. Contra o Oeste, quase tudo de novo, não fosse mais um gol do LF9 no apagar das luzes.

Perdemos a chance de diminuir de oito para seis pontos a distância do grupo que vai subir, mas não há tempo para lamentações. Neste sábado, 10/9, temos um acerto de contas para fazer com o segundo time de Londrina. Em 2016 já tivemos uma batalha no VGD e outra no Café. Uma derrota pelo estadual, que nos custou o fim de uma série invicta de cinco jogos, e um empate pelo primeiro turno da série B.

Chegou a hora de vencer mais uma vez do lado da Torcida, ganhar esses ‘seis’ pontos e a definitiva reabilitação. É bom lembrar que depois do confronto com o Tubarão teremos o Vila Nova pela frente, também em Casa.

Sábado todos os caminhos levam à Vila do Povo!

#euacredito #guerreirovalente

anuncio-tsm-posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *