Adeus, ZR – até nunca mais

Compartilhe esta notícia.

Três vitórias em sete dias, nove pontos somados aos únicos dois que tínhamos antes e o Atlético deixou, de vez, ontem, a Zona de Rebaixamento. Se a qualidade do futebol apresentado ainda está bem longe do que esperávamos com a chegada do técnico Eduardo Baptista, os resultados voltaram. E na hora certa, pois estão chegando os confrontos decisivos da Copa do Brasil e da Libertadores da América. A sorte também voltou a sorrir para o Furacão, e contamos com ela para avançar diante de Grêmio e Santos.

Se, no empate contra o Flamengo e, até, na derrota para o Coritiba, o Atlético chegou a apresentar um bom futebol, uma clara evolução tática, já nas primeiras partidas sob o comando de Eduardo Baptista, mas os resultados não vieram, nos três últimos jogos (Atlético-MG, Atlético-GO, e São Paulo) a qualidade do futebol esteve bem longe do que se espera, mas as vitórias, enfim, aconteceram.

Sem a pressão da zona do rebaixamento e, até mesmo, da lanterna do campeonato, sem a sina de não conseguir vencer, espera-se que, daqui para frente, o Atlético evolua ainda mais e, em pouco tempo esteja brigando numa posição mais acima no campeonato. O jogo contra o vitória, domingo, é crucial para isso. Quatro vitórias consecutivas em um campeonato tão disputado quanto o Brasileirão são feitos que só Corinthians e Grêmio (justamente líder e vice-líder) conseguiram até agora.

A crítica à partida de quarta-feira contra o São Paulo fica pelo fato de Sidcley ter voltado a ser utilizado como lateral, depois de duas boas atuações no meio campo. E, mais uma vez, o Atlético correu sérios riscos defensivos pelo setor esquerdo do campo.

Por Roger Pereira
Foto: Joka Madruga (arquivo 2016)
GV Inferior
Terra Sem Males

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *