Artigo | Construindo o Reino

Compartilhe esta notícia.

Participar das ações solidárias promovidas pelo MST tem sido presenciar o milagre da “multiplicação dos pães”

Por irmã Emily Luci Buch, da Comunidade Divina Misericórdia, do Sabará, Curitiba | Foto: Joka Madruga

Desde o mês de julho nós, Irmãs Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, do Sabará, começamos a participar de algumas ações solidárias promovidas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), em Curitiba, como a distribuição de alimentos orgânicos para famílias, marmitas para pessoas em situação de rua e o cultivo de agroflorestas em São José dos Pinhais e no assentamento Contestado, da Lapa.



Para nós, Irmãs, tem sido como presenciar o milagre da “multiplicação dos pães”, pois a quantidade de alimentos já distribuídos (mais de 442 toneladas só no Paraná) vem de pequenos agricultores familiares, assentados ou acampados, que partilham um pouco do que produzem no campo para ajudar quem passa fome na cidade. Também da dedicação de inúmeros voluntários que se somam à causa e doam seu tempo e trabalho para preparar a terra, plantar, cuidar, colher e preparar os alimentos que serão doados. E, assim como fez Jesus, quando se partilha, todos ficam saciados e ainda sobra!

Também tem sido uma experiência marcante de fraternidade e esperança, pois o encontro com outras pessoas que acreditam na mesma causa e partilham dos mesmos ideais, fortalece a fé e os vínculos entre nós como irmãos e irmãs, filhos e filhas do mesmo Pai, o qual não quer ver nenhum de seus filhos sofrer, nem de fome, nem pela injustiça, nem pela violência… mas nos quer amando uns aos outros como Ele nos ama!



Isso tudo é sinal concreto do Reino de Deus já acontecendo no meio de nós! Como disse Jesus, o Reino é como uma semente de mostarda. Ela é pequena, frágil, até insignificante aos olhos humanos, mas carrega em si uma força de vida e transformação que escapa à nossa compreensão!

É triste perceber como o MST é tão mal visto por vários setores da nossa sociedade! E isso se deve a uma visão preconceituosa que, por não conhecer os fatos, lamentavelmente, só reproduz boatos e “fake news”. Como diz o ditado, pior cego é o que não quer ver… e para ver, é preciso se aproximar com o coração desarmado e o desejo sincero de conhecer e aprender, como fez o Bom Samaritano (cf. Lc 10, 25-37).

Agradecemos a todos e todas que fazem parte do MST pela oportunidade que nos dão de partilhar dessa construção do Reino de Justiça e Fraternidade que Jesus veio anunciar!

Que a Bem-Aventurada Clélia Merloni, para quem os pobres, oprimidos e infelizes foram o seu mais terno palpitar, nos ensine a abrir nossos corações e nossas mãos para aqueles que mais precisam!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *