Artista popular divulga música inspirada em ações solidárias do MST

Compartilhe esta notícia.

Single “Adube” fala da importância da terra, da colheita, dos saberes tradicionais e da cultura popular. Clipe foi gravado no assentamento Contestado, da Lapa (PR)

Por Rita Hilachuk, via assessoria do MST/PR

As ações de solidariedade do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) do Paraná inspiraram a composição da canção “Adube”, do artista popular Petrus Cuesta, lançada no fim de fevereiro.

O single mistura MPB e Hip Hop, utiliza instrumentos de sopro, percussão e cordas para falar da importância da terra, da colheita, dos saberes tradicionais e da cultura popular. “A letra se concretizou mesmo com a relação MST-PR, nas vivências de voluntário da ação Marmitas da Terra, nas colheitas e no manejo da terra, na percepção dessas pessoas com a terra e na solidariedade e partilha. Tudo isso foi fortalecendo a canção”, explica o músico.

Nas composições, Petrus sempre procura trazer uma reflexão da sociedade e sua relação com a natureza e a ancestralidade. “Acho que elas têm algo em comum que é trazer a reflexão da relação que a sociedade tem perante as vidas que compõem este plano, a natureza e todos seus elementos, a ancestralidade. É importante sempre olhar para trás para se identificar no presente, traçar e colocar em ação coisas que serão benéficas para o futuro de todos”.

As gravações do clipe Adube foram feitas no Assentamento Contestado e na Escola Latino Americana de Agroecologia da Ana Primavesi (ELAA), localizadas na Lapa (PR), no dia em que o assentamento comemorava 22 anos de luta. É nesta comunidade que Petrus se soma aos mutirões de plantio de manejo de hortas e agroflorestas comunitárias, cultivados para a continuidade das ações de solidariedade do MST durante a pandemia. A ação reúne famílias assentadas e integrantes do coletivo Marmitas da Terra, formados por militantes de Curitiba e região.   

Petrus é amazonense, tem 27 anos, nasceu em Tabatinga, na tríplice fronteira Brasil, Colômbia e Peru, e cresceu com as influências dos ritmos afro-latino-americanos. Atualmente, Petrus divide os preparativos do lançamento de seu primeiro álbum com o trabalho de músico-brincante no Grupo Baquetá, no qual participa desde 2016. O Baquetá desenvolve estudos e espetáculos baseando-se na diáspora africana e dos saberes dos povos originários, com foco no público infanto-juvenil. 

O artista também é zabumbeiro e cantor do quarteto de forró regional Canção de Fogo. Outras canções que já gravou são “Ave Tropical” e “Teu Ser”, que podem ser ouvidas no YouTube e no Spotfy.

Marmitas da Terra

A ação Marmitas da Terra, da qual o artista participa, é uma inciativa do MST em Curitiba que já distribuiu mais de 40 mil marmitas com alimentos vindas da Reforma Agrária e da Agricultura Familiar para pessoas em situação de vulnerabilidade social, em situação de rua e nas comunidades periféricas. Participam do projeto voluntários, militantes de movimentos sociais urbanos, coletivos, sindicatos e campanhas.

Dado o momento em que vivemos, com a pandemia e suas complicações, a música veio em tempo de semear a esperança, a solidariedade e o amor. Características tão presentes no MST e no Marmitas da Terra. “O cuidado com a terra é primordial para estarmos colhendo coisas boas para podermos partilhar com as pessoas que mais precisam nesse ritmo capitalista que vivemos. Movimentos assim nos dão esperança para continuar lutando e resistindo, produzindo e trazendo coisas que sejam positivas e construtivas para a gente caminhar para um novo olhar sobre a vida”, finaliza Petrus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *