As medalhas dos golpistas

Compartilhe esta notícia.

Por Manolo Ramires
Terra Sem Males

Há pouco mais de um mês, o jornal New York Times conferiu o título de medalhista de ouro a Michel Temer por causa de seu ministério e casos de corrupção. Para o jornal norte americano, Temer praticou doping político para chegar ao poder. No período das Olimpíadas, o Brasil descobre porque lidera o quadro geral de medalhas do submundo.

Nem os jogos haviam começado e o Pastor Marco Feliciano já conquistava seu ouro. Modalidade: uso de força sexual desmedida. O conservador é acusado por uma militante do PSC de estuprá-la e agredi-la. O caso revelado pela Coluna Esplanada ainda dá medalhas de prata para o chefe de gabinete de Feliciano, preso por cárcere privado e chantagem da moça, e de latão para o ex-candidato a presidência Pastor Everaldo, também por ameaça. Mas como o time de Neymar não vai bem, as medalhas não ganharam as capas.

Também não tem ganhado grande destaque outro feito patriótico da equipe de Temer. Trata-se da medalha de ouro em “esconder recursos” conquistada pelo ministro das Relações Exteriores José Serra. O Caixa 2 revelado por Marcelo Odebrecht de R$ 23 milhões é digno de quebra de recorde. Serra ainda ganhou medalinha de papel ao argumentar que tudo foi declarado e o assunto sumiu entre os jogos do time de Marta.

E se a modalidade é Caixa 2, o próprio Michel Temer e o PMDB conquistaram suas medalhas. Marcelo Odebrecht disse ter pago R$ 10 milhões em dinheiro vivo à turma do vice, em especial a Eliseu Padilha. Contudo, como em casos anteriores, ninguém ainda caiu. São medalhistas de ouro em hipocrisia.

Temer, aliás, é um fenômeno olímpico. Não basta ter se escondido das vaias no Maracanã ao não anunciarem seu nome e nem sua imagem no telão. Ele ainda orientou a Força Nacional de Segurança a se preocupar mais com o #foratemer do que com possíveis ataques terroristas. Se bem que a opinião popular horroriza o interino golpista mais do que as transmissões do Galvão Bueno.

Phelps de toga

O americano nadador ganhou mais uma medalha nas piscinas. Mas segue longe dos feitos de Gilmar Mendes, o tucano de toga. Para melhorar o seu currículo, Mendes sugere a cassação do registro do PT por supostamente receber dinheiro da Petrobras. Evidente que ele não faz o mesmo com o PSDB, PP, PMDB também envolvidos no escândalo da Lava Jato. Medalha de pau na categoria fundista sem moral.

Delegação masculina

São lindos os comerciais do TSE sobre mulheres na política. Na prática, nem a cota de vice tem sido preenchida em Curitiba. Duas mulheres e uma dezena de homens concorrendo à prefeitura.

 

anuncio-tsm-posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *