Barragem de água rompe na região do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais

Compartilhe esta notícia.

Na última segunda-feira (30) a barragem de água de propriedade privada, conhecida pelo nome Barragem do Japonês, rompeu na propriedade rural Córrego da Saudade, no município de Novo Cruzeiro, região do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais. 

As famílias atingidas eram em sua grande maioria agricultores e trabalhavam com horticultura para subsistência e abastecimento do município. Cinco famílias tiveram suas casas alagadas, mas a comunidade toda foi atingida pela água que levou todas as plantações. Não houve ocorrência de mortes e até o momento não foi encontrado o proprietário responsável pela barragem.

Atingido pelo rompimento da barragem, José Almeida afirmou que “a barragem rompeu por volta das 16h”, enquanto ele “plantava couve”. “Perdi 10 alqueires de plantação de café, toda a plantação de hortaliças, meus móveis, eletrodomésticos, minhas ferramentas. Minha casa começou a cair hoje por conta da água da barragem” afirmou. José estava construindo outra casa para ele e sua família, mas perdeu o dinheiro que estava guardado na casa atingida pela água. Ele ressalta que “se o rompimento tivesse acontecido durante a noite, todos teriam morrido”. As famílias atingidas estão ficando nas casas de parentes da comunidade ou na cidade.

O acesso a água também foi comprometido e está restrito na comunidade da Saudade. A água da barragem atingiu o poço que abastecia a maioria da comunidade e agora, as famílias que tem acesso a água – por poço – estão doando para aqueles que estão sem acesso. 

A falta de água é grave no período de pandemia do Coronavírus e impossibilita os cuidados com a higiene e contaminação, assim como a aglomerações nas casas. É preciso que os órgão públicos tomem com urgência as providências de proteção social emergencial a essas famílias, e garantam e reparação dos danos ocorridos. 

O Movimento de Atingidos por Barragens – MAB alerta, mais uma vez, para a necessidade de fiscalizações das barragens no Brasil pelos governos. É recorrente o rompimento de barragens de reserva de água que traz prejuízo aos atingidos. Por isso, reforçamos a necessidade da aprovação, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e no Congresso Nacional, da Política Nacional e Estadual dos Direitos dos Atingidos por Barragens (PNAB e PEAB).

A Defensoria Pública encaminhou ontem (1) um ofício à prefeitura municipal de Novo Cruzeiro, solicitando informações mais qualificadas da comunidade, assim como o nome do proprietário da barragem.

Fonte: Movimento Nacional dos Atingidos por Barragens

CLIQUE AQUI PARA VER MAIS NOTÍCIAS SOBRE OS ATINGIDOS POR BARRAGENS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *