Candidatos a vice-prefeito de Curitiba participam de roda de conversa

Compartilhe esta notícia.

Iniciativa da Sociedade Global, sabatina priorizou senso coletivo dos participantes

Por Paula Zarth Padilha
Terra Sem Males

Na manhã desta sexta-feira (30), véspera de eleições municipais, o Terra Sem Males foi uma das 25 entidades participantes de uma roda de conversa realizada com os candidatos a vice-prefeitos que concorrem na cidade de Curitiba. O encontro inédito foi promovido pela entidade Sociedade Global, no espaço “Casa de Transição”, no bairro Marcês, local compartilhado por atividades de outras entidades, como o Instituto Gaia.

O diálogo teve início com a abertura para que cada pessoa pudesse dizer como se sentia naquele momento, no fim da campanha, participando da roda de conversa, no formato proposto sem o embate dos debates e sabatinas até então realizados na cidade.

Os temas propostos e contemplados pelos candidatos foram referentes à participação da sociedade, dos movimentos sociais e da população no futuro governo municipal, de como todos poderiam ter acesso a uma gestão democrática.

Os representantes das entidades tiveram a oportunidade de realizar questionamentos de 30 segundos e cada candidato, conforme manifestação espontânea, sem ordem definida, teve dois minutos para dialogar sobre cada questão.

Eles puderam falar sobre a relação com seus colegas de chapa, de como se sentem na reta final de campanha, com essa oportunidade de debater além do espaço destinado aos candidatos a prefeitos. Os temas foram aprofundados nas questões sobre mães e crianças na educação infantil, acessibilidade nas calçadas, acesso das periferias ao centro, a fuga de Curitiba num cenário do estereótipo de cidade modelo, a questão fundiária e de moradias.

Dos oito elegíveis, seis compareceram: Nasser Allan (Tadeu Veneri – PT), Rodolfo Jaruga (Xênia Mello – Psol/PCB), Jorge Bernardi (Requião Filho – PMDB/Rede), Luciano Pizzatto (Maria Victória – PP/SD/PR/PMB/PHS PRTB), Paulo Salamuni (Gustavo Fruet – PDT/PV/ PTB/PRB / PPS) e Porfirio Vengue (Ademar Pereira – PROS).

Os candidatos considerados progressistas utilizaram o espaço para chamar a atenção das desigualdades da cidade. “Curitiba é modelo de exclusão social”, afirmou Jorge Bernardi. “Nenhuma cidade produziu tanta exclusão nos últimos 40 anos”, criticou Rodolfo Jaruga, referindo-se ao lernismo e defendendo o acesso das periferias às obras de infraestrutura. “Temos que fugir do estereótipo de cidade modelo e desenvolver políticas públicas efetivas”, argumentou Nasser Allan, que destacou que a campanha para as eleições de 2016 promoveu a criação de espaços de reflexão e espaços políticos de debates.

O candidato a vice do atual prefeito Gustavo Fruet, Paulo Salamuni, utilizou o espaço para defender o mandato do prefeito que, segundo ele, priorizou obras como a via calma, para evitar mortes no trânsito, e parquinhos infantis com acessibilidade, em detrimento de reformas de ruas e estruturais como uma opção de governo.

O candidatos a vice de Rafael Greca (Eduardo Pimentel Slaviero) e de Ney Leprevost (João Guilherme) não compareceram. De acordo com o site do TRE, são oito, e não nove, as candidaturas aptas. Não consta a de Afonso Rangel.

Durante os 45 dias de campanha, o Terra Sem Males acompanhou diversas iniciativas populares de sabatinas e debates com os candidatos em que a população teve, de alguma forma, acesso.

Saiba mais na editoria Eleições 2016

anuncio-tsm-posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *