Capítulo II: FUTEBOL SEM TEMPERO, MAS O PAÍS TEM GOSTO

Compartilhe esta notícia.

PRIMEIRA PARTE: Tião, Tim e Zaca

::Capítulo II – Tim, a ferramenta

 Tim é o faz tudo. Tião o manuseia. Isso faz desse trabalho familiar algo sincronizado. No período da Copa do Mundo da Rússia, por exemplo, a dupla estudou várias formas de ganhar grana com a temporada de gastança.

Por isso Tim foi pra rua fazer rondas, ver como os funcionários trabalhavam.

Depois que ele saiu da clínica, nunca mais foi o mesmo. Parou de beber, de fumar cigarro e começou a ler grandes autores da literatura mundial.

Não perdeu o sangue no olho, mas deu um ar mais romântico ao seu estilo peculiar.

Tem uma história interessante dele…

Certa vez, após saber da morte do Saramago, Tim sumiu. Ficou um tempo desaparecido e, quando ressurgiu, veio com um papo estranho de fazer um ‘ensaio sobre a cegueira’ aqui na vila.

Ele veio cheio de marra e soltou:

– Aí Zaca, sabe que o Saramago morreu?

– Sei… e daí?

– E daí que agora eu vou fazer meu ritual aqui, tá ligado? Vou começar arrancando o zóio de uns craquento na porrada, quer ir ver?

– Do que se tá falando Tim?

– Tá ligado que aqueles playboy filha da puta fica ali no pé da vila mendigando por crack? Então, já peguei uns cinco e botei num cativeiro.

Esse foi mais um dos episódios idealizados por Tim que acabaram em tragédia. Os viciados não aguentaram. Ele havia me explicado que aqueles caras estavam perdidos.

Então colocou alguns cobaias num cativeiro. Tentou explicar que a vida é muito mais do que coisas materiais. Ele acreditava que iria fazer com que eles superassem o crack.

Tião me dizia que seu irmão iria matar todos lá dentro. Eu achava que não.

Mas, sem mais nem menos, durante seu experimento, Tim apareceu todo ensanguentado e simplesmente disse que aqueles caras não mereciam viver. “Seus olhos só enxergavam o crack”, disse.

Essa foi a justificativa dele pra arrancar os olhos dos seus ‘prisioneiros’.

Como Tião sabia que aquilo iria virar capa de jornal, sem Tim saber, sumiu com os corpos.

Sobre esse assunto uma vez ouvi os dois comentando:

– Pô Tião, por que você sumiu com aqueles merdas?

– Cara… eu sei que você estava com um plano superior, mas nós dois temos um plano ainda maior… esqueceu? Aquilo iria acabar conosco, com a porra toda, tá ligado, mano?

Tim, no auge da sua sobriedade, deu um abraço no irmão e foi trabalhar.

Essa história virou lenda.

O legal é que depois do ocorrido uma galera aqui na vila começou a ler Saramago. Tim até distribuiu fragmentos dos livros do cara pela área.

Parece que ele conseguiu, do jeito mais cabuloso, disseminar algo bom: a leitura.

Até hoje ele leva lá na biqueira uns livros de literatura pros viciados.

 

Por Jornaldo.

*Foto: Amit Dave/Reuters

=> Leia Capítulo I.

One thought on “Capítulo II: FUTEBOL SEM TEMPERO, MAS O PAÍS TEM GOSTO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *