Com omissão do governo, MAB promove ações de solidariedade durante a pandemia

Compartilhe esta notícia.

Campanha organizada em diversos estados já distribuiu mais de 260 toneladas de alimentos, gás e carvão, além de kits de higiene pessoal e máscaras de proteção a famílias pobre

Por Leonardo Fernandes / Comunicação MAB

Desde o começo da pandemia do novo coronavírus, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) elabora uma série de propostas de medidas emergenciais que garantam a dignidade das famílias de trabalhadores brasileiros durante a crise sanitária e o necessário período de isolamento social. 

Foram promovidas ações de solidariedade em diversos estados das cinco regiões brasileiras. Ao todo, já foram realizadas atividades em 18 estados, que vão desde a coleta e distribuição de cestas básicas, até a fabricação e distribuição de kits de higiene pessoal e artigos de proteção individual, como máscaras e capotes usados no sistema público de saúde.

“A solidariedade é um elemento fundante da existência dos movimentos populares”, destaca Iury Paulino, da coordenação nacional do MAB. “Além do mais, é uma ferramenta de resistência, essencialmente neste momento que estamos vivendo”, completa. 

Segundo levantamento do coletivo de Direitos Humanos do MAB, ao todo, foram entregues, até o dia 9 de junho:

  • mais de 260 toneladas de alimentos
  • 3.290 itens de higiene
  • 3.210 máscaras de proteção
  • 100 unidades de luvas 
  • 40 litros de álcool 70%
  • 380 sacas de carvão na região do Xingu

Cerca de 10 mil famílias foram beneficiadas pelas ações de solidariedade, chegando a quase 40 mil pessoas atendidas. 

A região norte foi a que mais se movimentou diante da pandemia da Covid-19. Só no Pará foram quase 97 mil quilos de alimentos distribuídos entre as famílias carentes do estado. Já em Rondônia foram entregues cestas básicas que totalizaram mais de 44 mil quilos. 

Jackson Dias, da coordenação nacional do MAB, conta que as campanhas de solidariedade foram pensadas nas diversas realidades das regiões, como a distribuição de carvão para comunidades do Xingu, além das cestas básicas e kits de higiene pessoal e limpeza. 

Foto: Comunicação MAB

As ações foram coordenadas com as organizações que constroem a Frente Brasil Popular, e também contou também com o apoio institucional dos Ministérios Públicos em alguns estados. 

“Nesse momento de fragilidade econômica e social, agravada pelo coronavírus, a ajuda sempre é muito bem-vinda para essas famílias, que muitas vezes têm dificuldades para acessar o auxílio emergencial e a tarifa social de energia elétrica”, afirma Dias. 

Na região nordeste, vários estados receberam ações de solidariedade do MAB. A maior parte delas ocorreu na Paraíba, onde foram entregues cerca de 13 mil quilos de alimentos da cesta básica, além de produtos de higiene e máscaras de proteção. 

“Não é o movimento social que criou a solidariedade, não é o partido, não é a esquerda. Todos eles aprendem com o povo. É o povo que ensina no dia a dia o verdadeiro sentido da solidariedade”, ressalta Roberto Oliveira, da coordenação do MAB no estado do Ceará. 

Foto: Comunicação MAB

Ele destaca que o fato de a região ser governada majoritariamente por partidos e governadores progressistas, em muitos casos aliados dos movimentos populares, permitiu às organizações enfrentarem a crise de outra maneira. Mas lembra que as alianças entre as organizações do povo têm sido a estrutura que permitiu a realização de grande parte das ações realizadas pelo MAB.  

“O Movimento dos Atingidos por Barragens sempre contou com muitos parceiros, aliados na luta. Desde setores da Igreja Católica, de outras igrejas, passando por apoios institucionais ou mesmo de outros movimentos sociais, urbanos, rurais, movimento sindical. E nas ações que temos feito nós também contamos com esse arco de parceiros, aliados e amigos”, elenca Oliveira.

São Paulo foi o estado da região sudeste que mais distribuiu alimentos, somando quase 62 mil quilos de alimentos, e botijões de gás de cozinha, que foram distribuídos nas zonas sul e leste da capital, além da comunidade de Perus, na zona norte. Cerca de 700 famílias foram beneficiadas pela ação, que contou com a parceria da Central de Movimentos Populares (CMP), Koinonia, além do sindicato dos petroleiros. 

Foto: Comunicação MAB

Já na região sul, o MAB do Rio Grande do Sul organizou atividades em parceria com o Centro de Tecnologias Alternativas Populares, Levante Popular da Juventude, Cáritas do Rio Grande do Sul, Universidade Federal da Fronteira Sul, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul e o Instituto Federal do Rio Grande do Sul. Outras 24 entidades também se envolveram indiretamente. 

No estado, foram distribuídos 6.500 quilos de alimentos, além de gás de cozinha, máscaras de proteção, álcool 70%, luvas e material de limpeza e higiene pessoal. 

“Muitas famílias estão em condições de muita vulnerabilidade, muitas vezes sem acesso à energia e água encanada. Além do mais, algumas dessas famílias convivem desde o começo do ano com a ameaça do despejo”, explica Mariana Zabot, militante do MAB no estado. “A entrega desses produtos é também um momento de muita alegria, apesar de uma situação tão difícil”, conclui. 

As ações de solidariedade do MAB em todo o Brasil objetivam amenizar a situação calamitosa pela qual passam milhares de famílias brasileiras diante da pandemia da Covid-19, e do desapreço das autoridades federais à vida da população, segundo Iury Paulino, da Coordenação do MAB.

“Houve uma grande omissão do Governo Federal em políticas para diminuição dos efeitos do coronavírus. Isso já vem com a destruição do Estado brasileiro, que se intensificou com o golpe da presidenta Dilma em 2016 e se consolida, agora, com o governo Bolsonaro”, opina Paulino.

Clique aqui para ler mais sobre os ATINGIDOS POR BARRAGENS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *