De olho nos números

Compartilhe esta notícia.

Por Manoel Ramires
Terra Sem Males

As 10 medidas contra a corrupção têm gerado bastante polêmica e interesses antagônicos. Propostas pelo Ministério Público Federal e com forte apoio dos investigadores da Lava Jato, do juiz Sérgio Moro e do procurador Rodrigo Janot, ela foi fortemente retalhada pelos deputados federais. Dos dez pontos, apenas dois sobraram “ilesos”.

A desfiguração promovida pelos mesmos deputados que rasgaram a constituição ao tomar a presidência de Dilma tem como ponto principal a “perseguição” a juízes e promotores por abuso de autoridade. Esses podem ficar até dois anos presos. Embora ninguém deva compactuar com autoritarismo e excessos, seja dos engravatados, seja dos togados, a emenda tem sim claro objetivo de censurar a Lava Jato, estancando a sangria prometida pelo PMDB, e agir como retaliação ao não avanço da anistia ao Caixa 2.

Os promotores reagiram prometendo abandonar as investigações. É tudo o que os parlamentares golpistas querem. Os paneleiros retornaram de sua hibernação cívica, mas apenas para protestar contra a desfiguração das 10 medidas. Quanto a PEC 55, eles dormem.

PEC da Maldade

61 a 14. Esse foi o placar no Senado Federal para aprovar a PEC 55, que congela recursos públicos por 20 anos. É “surpreendente” a base de apoio do decorativo presidente Michel Temer. Base mantida por causa dos belos cabelos grisalhos e jantares pomposos, como diria certo colunista twitteiro. 61, aliás, é o mesmo placar da cassação da presidente Dilma Rousseff no Senado.

Ainda na PEC do Fim do Mundo, mas quando seu número era 241 na Câmara dos Deputados, ela foi aprovada por 366 votos. Um voto a menos do que o impedimento de Dilma. Faltou apenas o voto do ex-deputado Eduardo Cunha, que já havia sido cassado.

Doze a zero

Esse é o placar favorável a Lula contra o juiz Sérgio Moro. 12 testemunhas de acusação negaram qualquer vinculação do ex-presidente com casos de corrupção na Petrobras e na compra do triplex do Guarujá. A última negativa ocorreu ontem (30). Armando Magri, da construtora Talento, que foi o executor da reforma realizada no apartamento 164-A do Edifício Solaris. Ele “afirmou desconhecer e nunca ter ouvido falar de qualquer ilicitude em que o ex-presidente Lula tenha se envolvido, muito menos que ele seria o ‘proprietário oculto’ do imóvel”.

PIBinho

O Produto Interno Bruto recuou mais uma vez. De acordo com o IBGE, a queda foi de “0,8% na comparação do terceiro trimestre de 2016 contra o segundo trimestre do ano”. No acumulado, “o PIB apresentou recuo de 4,0% em relação a igual período de 2015, a maior queda para este período desde o início da série em 1996”. Os números levam ao desânimo a indústria e desmontam a tese política de que Dilma tinha que sair para a economia melhorar. Demonstra também que o governo golpista não tem conseguido adotar políticas atuais para conter a economia enfraquecida, uma vez que a PEC tende a frear ainda mais a economia.

Salvem Renan

No sábado (03) completa um mês que o ministro do STF, Dias Toffoli, pediu vistas do processo que analisa o afastamento de políticos que ocupem cargo na linha sucessória presidencial e sejam réus na corte. É o caso do senador Renan Calheiros. A votação já estava decidida. Seis ministros do STF já haviam votado pelo afastamento.

anuncio-tsm-posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *