Eduardo Cunha é condenado a 15 anos de prisão na Lava Jato

Compartilhe esta notícia.

Ex-presidente da Câmara dos Deputados que abriu o caminho para o impeachment de Dilma está preso em Curitiba

O Juiz Federal Sergio Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, especializada em crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas, condenou nesta quinta-feira, 30 de março, o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) a 15 anos e 4 meses de prisão em regime fechado. Cunha foi presidente da Câmara Federal quando tramitou o processo de impeachment contra a presidente eleita Dilma Rousseff.

Cunha foi condenado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro por movimentação e ocultação de dinheiro de corrupção, evasão de divisas e manutenção de depósitos não declarados no exterior. Além da pena de prisão, Cunha foi condenado a pagar multa equivalente ao valor da propina recebida, de US$ 1,5 milhão.

A síntese da denúncia do MPF tem 25 itens com acusações de lavagem de dinheiro, evasão de divisas, não comunicação de contas no exterior ao Banco Central e à Receita Federal, corrupção, intermediação financeira para beneficiar políticos, de verba com origem vinculada a contratos da Petrobrás, no âmbito da Operação Lava Jato.

A defesa de Eduardo Cunha informou que vai recorrer da sentença no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. O político está preso no Complexo Médico Penal, em Piraquara, Paraná, desde outubro de 2016. O local é onde são direcionados todos os presos com envolvimento na operação.

Clique aqui para ler a sentença completa.

Por Paula Zarth Padilha
Terra Sem Males

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *