Em oito anos, Prefeitura de Curitiba pagou R$ 18 mi à Greca Asfaltos

Compartilhe esta notícia.

por Phil Batiuk Trindade

Dono é aquele a quem algo pertence. No caso da Prefeitura de Curitiba, 100 empresas concentram a maior parte da dívida do município. Dívida que somava praticamente 1 bi de reais em fevereiro de 2015, para ser exato R$ 927.791.870,82.

A dona da maior parte da Prefs é a Denjud Refeições. É a primeira da lista que a gestão municipal entregou após dois pedidos de informações feitos por este jornalista. Somente em 2015, o investimento rendeu R$ 32,88 milhões à empresa.

Já a Greca Distribuidora de Asfaltos passou 2012, 2013 e 2014 na seca, mas voltou a faturar com obras para o município em 2015, tendo recebido R$ 1,6 mi. Mas em 2016, ano eleitoral, somente entre janeiro e 28 de setembro, já dobrou o lucro e levou pra casa R$ 2.952.007,50.

A empresa existe desde 2003, segundo a Receita Federal, sendo propriedade de sociedade anônima fechada. Presta serviços à Prefs desde 2008, com interrupção nos três anos já mencionados. Em valores brutos, recebeu da administração municipal um total de R$ 12.740.715,70.

Mas, usando o Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA), o mesmo usado pela gestão municipal para conceder reajuste aos servidores públicos, o valor corrigido salta para R$ 17.935.359,75. Com essa grana, a Prefeitura poderia ter construído sete Cmeis dos mais bem equipados, estimando a obra em R$ 2,4 mi cada.

Terceirizadas

Somente em 2015, R$ 124 milhões foram pagos às dez maiores credoras da Prefeitura. Algumas delas prestam serviços terceirizados, como é o caso da campeã Denjud, mas também da Tecnolimp (8ª). Mas, para além desta lista, o Portal da Transparência revela os gastos do município com outras terceirizações.

Os dados de janeiro a setembro de 2016 apontam empenhos de R$ 80,6 milhões para a Risotolândia. À Tecnolimp estão destinados R$ 54,8 mi e à Cotrans, que aluga os carros brancos da Prefs, outros R$ 42,6 mi. Soma-se a isso os R$ 18,4 mi para a Higiserv e R$ 5 mi para a G5 cumprir funções da Guarda Municipal.

Curitiba gastará com terceirizações, se pagar tudo que está empenhado em 2016, pelo menos R$ 233 milhões.

Com esse valor o município poderia construir 97 cmeis, número muito próximo da meta de 120 estipulada pelo Ministério Público do Paraná para suprir a demanda total por vagas.

anuncio-tsm-posts

One thought on “Em oito anos, Prefeitura de Curitiba pagou R$ 18 mi à Greca Asfaltos

  • 16 de novembro de 2017 em 8:27
    Permalink

    Ola, por curiosidade estava vendo assuntos relacionados a nossa empresa e gostaria que voce viesse aqui ver realmente oque é nossa empresa. So de existencia temos mais de 57 anos! Enfim diversas coisas erradas a nosso respeito nesse seu comentario, mas nao sera por esse meio que vou explicar a voce. Um bom jornalista investiga os dois lados para entender o todo e nao errar tanto!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *