Em três anos o programa Mais Médicos melhora a vida do povo brasileiro

Compartilhe esta notícia.

Médica cubana atende na fronteira com a Bolívia

Por Joka Madruga e Paula Zarth Padilha
Terra Sem Males

O distrito de Abunã fica a 216Km de Porto Velho, capital de Rondônia, na Amazônia brasileira e divisa com a Bolívia. Está a 2.747km de Brasília e 3.377km de Curitiba. A famosa BR 364 corta o vilarejo com um intenso tráfego de caminhões carregados, principalmente, de gado e soja. E lá vive a drª Kenya Luis, médica cubana que participa do programa criado por Dilma Rousseff, o “Mais Médicos”, e que chegou na localidade durante a enchente de 2013. “Ainda hoje tem pessoas fora de suas casas por causa daquela enchente. Algumas famílias atingidas pelas usinas (Jirau e Santo Antonio) também estão sem voltar para suas residências”, relata a médica. “O que mais faz a população local sofrer é a verminose, diarréia, dengue, malária e leptospirose”, conclui.

Drª Kenya Luis, médica cubana em Abunã. Foto: Joka Madruga/Terra Sem Males
Drª Kenya Luis, médica cubana em Abunã. Foto: Joka Madruga/Terra Sem Males

Ela atende a população de terça a sexta-feira, durante oito horas por dia. Como a comunidade é muito grande e de difícil acesso a alguns locais, um enfermeiro fica de plantão à noite. “Precisamos de mais agentes comunitários, é muita gente para cuidar. São mais de 5 mil pessoas espalhadas pelas fazendas e floresta”, explica.

Abunã fica longe da sede do município e algumas vezes o posto de saúde funciona como pronto socorro também, mesmo com a pouca estrutura. “Como posto de saúde temos o necessário, mas para tratamentos emergenciais complica mais”, relata.

“É difícil ver que aqui no Brasil a pessoa não prioriza a sua saúde e sim o trabalho”, desabafa. Muitas pessoas não fazem os exames laboratoriais que ela pede, por causa das condições já citadas. Mesmo assim ela insiste para que as pessoas façam e arrumem um jeito, pois ela explica a importância de cuidar da saúde.

“O programa Mais Médicos é muito bom. Para nós estrangeiros é um desafio lidar com doenças que não temos em nossos países, como a malária, por exemplo”, finaliza Drª Kenya. Eles também atendem bolivianos que cruzam a fronteira em busca de ajuda médica, pois a comunidade de Abunã está na divisa com a Bolívia.

Mais Médicos

O programa Mais Médicos foi criado dia 8 de julho de 2013 pela Medida Provisória nº 621 e instituído definitivamente pela Lei 12.871, de 22 de outubro de 2013. De acordo com estudo do Governo Federal sobre o Mais Médicos, publicado em 2015, já no primeiro ano de Programa, toda a demanda de mais de 13 mil médicos solicitada pelos municípios do país foi atendida.

Nessa etapa inicial, médicos estrangeiros de mais de 40 países ocuparam quase 85% das vagas demandas pelos municípios. Em 2015, os médicos brasileiros preencheram 100% de todas as novas vagas ofertadas.

Atualmente, são 18.240 novos médicos em 4.058 municípios e 34 distritos indígenas, representando 73% de cobertura do Programa nos municípios atingindo 63 milhões de brasileiros que não tinham atendimento médico.

A criação do Mais Médicos teve como objetivos ampliar o número de médicos nos municípios distantes e periferias; ampliar a estrutura das unidades básicas de saúde; e aumentar o acesso à formação de profissionais de medicina.

O repórter fotográfico paranaense Joka Madruga percorre os rios da Amazônia Brasileira em busca das histórias dos atingidos pelas barragens das usinas hidrelétricas da região, num projeto que se chama Águas Para Vida. Você pode colaborar com a próxima viagem comprando uma foto, com preços de R$30,00 a R$500,00. Ou apenas fazer uma doação. Clique aqui para saber mais.

Clique aqui para ler todas as reportagens fotográficas do projeto Águas Para Vida já publicadas.

anuncio-tsm-posts

One thought on “Em três anos o programa Mais Médicos melhora a vida do povo brasileiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *