Emir Sader critica pouco espaço dos trabalhadores no Legislativo

Compartilhe esta notícia.

Um momento para esta disputa deve acontecer nas eleições municipais

Por Pedro Carrano, com informações de Sismuc
Terra Sem Males

O sociólogo Emir Sader defende que, frente aos ataques contra a democracia, é necessária maior representação dos trabalhadores no Legislativo e no Congresso Nacional. Sua exposição aconteceu durante o XI Congresso do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc), realizado em Praia de Leste (PR), nos dias 12, 13 e 14 de agosto.

“Não há tradição de eleger parlamentares dos movimentos sociais. Cadê a bancada da educação pública, da saúde pública, do movimento negro, dos jovens, dos metalúrgicos etc. Não conseguimos avançar com esse Congresso. Temos que democratizar o Estado”, aponta  Sader, para quem os trabalhadores têm a obrigação de conseguir maior representação no Legislativo.

Um momento para esta disputa deve acontecer nas eleições municipais. “É a nível dos municípios que se desenvolvem as políticas democráticas e populares. Mesmo que restrinjam a participação na televisão, é possível fazer um debate sobre a cidade, que políticas queremos, que tipo de proteção aos jovens, às mulheres” , conclama.

Papel do governo Temer

O professor falou também sobre o papel do governo interino de Michel Temer (PMDB) depois do golpe parlamentar.

Os objetivos do governo estão dados, na avaliação de Sader. Para ele, a primeira meta do presidente interino é “privatizar, começando pelos recursos do pré-sal. O segundo objetivo “é a retirada de recursos para saúde e educação, dentro da ideia de que, se a economia cresce, há recursos para as políticas sociais, apenas assim”, lamenta.

Genocídio do povo negro

“Antes mesmo do impeachment, já víamos retrocessos nas terceirizações, nos direitos das mulheres, o genocídio dos jovens negros, 8 a 10 mortos pela polícia, que é paga pelos impostos ao Estado. E a mídia fabrica a imagem de que são os agentes da violência, quando na verdade são vítimas. São jovens sem cara, sem família, chacinados todos os dias”, criticou Emir.

anuncio-tsm-posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *