Famílias do MST doam 7 toneladas de alimentos em Paiçandu, noroeste do Paraná

Compartilhe esta notícia.

Dom Severino Clasen, arcebispo metropolitano de Maringá, fez a benção dos alimentos: “Passar um natal com uma cesta de alimentos igual a esta traz muita alegria e satisfação para tantas e tantas famílias”

Texto: Antonio Kanova | Fotos: Breno Thomé Ortega

Na tarde deste sábado (19), o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realizou a distribuição de 7 toneladas de alimentos com produtos da reforma agrária a famílias da periferia em situação de vulnerabilidade social de Paiçandu, noroeste do Paraná.

Cerca de 250 famílias receberam cestas com arroz, feijão, açúcar mascavo, fubá, legumes dos mais variados, verduras, leite, pães e panetone. O ato de solidariedade faz parte da campanha Natal da Reforma Agrária Popular, que visa distribuir alimentos oriundos dos assentamentos e acampamentos para os trabalhadores da cidade. Esta ação acontece em todo o estado do Paraná.

Dom Severino Clasen, arcebispo metropolitano de Maringá, esteve na atividade fazendo a benção dos alimentos, ressaltando que é possível construir uma nova economia e uma nova agricultura alternativa, mais justa e fraterna.

Clasen relembrou que “aqui nós temos o alimento puro, verdadeiro que sustenta e que nós podemos desenvolver mais, incentivando que a família que trabalha no campo tenha em primeiro lugar mais apoio, mais apreço, mais respeito e mais cuidado para que este alimento nunca falte na mesa dos nossos semelhantes. Passar um natal com uma cesta de alimentos igual a esta traz muita alegria e satisfação para tantas e tantas famílias”.

João Flávio Borba, da coordenação estadual do MST, ressaltou que “Natal é tempo de vida e de esperança, e partilhar aquilo que se tem e não o que está sobrando. A reforma agrária prova que é possível produzir arroz, feijão, alimentos que vão chegar à mesa dos trabalhadores brasileiros”.

Os alimentos doados neste sábado são frutos do trabalho de famílias assentadas e acampadas presentes em 13 municípios da região, com mais de 1.800 famílias envolvidas nesse ato de solidariedade. Parte dessa produção doada é organizada pelas cooperativas de reforma agrária, além de produtos agroecológicos da Escola Milton Santos de Agroecologia.

Desde o começo da pandemia, o MST do Paraná doou mais de 460 toneladas de alimentos no estado do Paraná, além de 34 mil marmitas em Curitiba e na região metropolitana. As doações que aconteceram em Paiçandu respeitaram o protocolo de segurança contra o Covid-19.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *