Globo quer indiretas já

Compartilhe esta notícia.

Qualquer um que seja eleito sem o voto das urnas não tem legitimidade ou capacidade de criar consenso no país e no parlamento.
 
O discurso do presidente Michel Temer não surtiu efeito. Ademais de ele acusar o Jesley Batista de ter editado o áudio em que ele concorda com propina para silenciar Eduardo Cunha, comprar um juiz e um procurador e dar carta branca para Rocha Loures negociar propina, Temer não consegue se defender de prevaricação. Ou seja, ele ouviu a confissão de diversos crimes e ficou passivo.
 
Temer partiu para o ataque. Mas é tarde. É bom observar que chamar os donos da Friboi de criminosos é pouco. Afinal, é apenas o início da investigação. No transcorrer, o procurador geral Rodrigo Janot deve mostrar novas provas ligadas a temer no recebimento de propinas e corrupção. Tanto é que, ao indeferir o pedido de arquivamento do processo, Edson Fachin argumentou que a gravação é apenas uma prova.
 
Globo virou partido
Temer é praticamente carta fora do baralho. O fracasso de seu jantar mostra que o abandono está feito. Apenas não foi anunciado. Os políticos, sua maioria comprada, já percebeu que para se salvar deve abandonar Temer e focar nas indiretas já e na aprovação das reformas. Esse é o discurso EXPLÍCITO (em caixa alta mesmo) da família Marinho. O blogueiro Ricardo Noblat admitiu em seu blog que o Grupo Globo defende a saída de Temer e as indiretas com medo de que, na urna, a população opte por Lula.
 
Próxima jogada
Se de um lado, a esquerda quer o Fora Temer, ela precisa entender que esse “serviço sujo” já está sendo feito pela Globo. Por isso, de outro lado, já deve antecipar e explicar o por quê das Diretas Já. Um dos argumentos – e que a Globo dificilmente consegue rebater – é que um congresso completamente corrupto não tem legitimidade para escolher a presidência da República. Nesse sentido, tem que dizer que a Globo, para acabar com a previdência e garantias trabalhistas dos trabalhadores, aceita que bandidos continuem governando. Ou seja, muda-se os ladrões, se mantem a corrupção. 
 
Foto: Ricardo Stuckert
Diretas já
A eleição indireta não devolve a paz ao Brasil. Tampouco o consenso. Qualquer um que seja eleito sem o voto das urnas não tem legitimidade ou capacidade de criar consenso no país e no parlamento. Mas isso a Globo não conta. Somente o voto direto e, consequentemente, o “aceitar” do resultado final (o que não ocorreu em 2014) poderão dar legitimidade a qualquer próximo presidente.
 
Inconstitucional
A constituição não prevê eleição direta. Pois bem, ela também não previa o congelamento por 20 anos dos investimentos em saúde, educação e assistência social.
 
Mediocridades
A Globo tem parceiros na eleição indireta. E não é apenas o mercado. A turma do MBL e que defendeu o golpe também é contra as diretas. Eles temem o retorno de Lula. Para essa galera, mas vale entregar o país a outra quadrilha do que disputar nas urnas a agenda e o futuro do país. Mediocridade pura de quem nunca foi contra a corrupção.
 
Manoel Ramires
Pinga Fogo
Terra Sem Males
 
Foto da capa: Lula Marques/AGPT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *