HSBC: um banco do submundo

Compartilhe esta notícia.

Desde o século 19, uma instituição financeira ligada a crimes como lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e tráfico de drogas

Ato de Natal dos Bancários, com o tema “HSBC, o fantástico banco do mal”, com paródias sobre Chapeuzinho Vermelho, Pinóquio e os Três Porquinhos. 17/12/2013. Foto: Joka Madruga

O HSBC (Hong Kong e Shanghai Banking Corporation) foi criado em Hong Kong e em Shangai no ano de 1865. Até hoje é o banco emissor da moeda de Hong Kong, de Shangai e da Tailândia.

O HSBC originou-se da Primeira Guerra do Ópio e visava financiar o crescente comércio entre a China e o Império Britânico. Teve uma longa e complicada história na Ásia até a Segunda Guerra.

Durante todo este tempo, esteve envolvido em diversos escândalos. Abaixo seguem alguns deles:

– Os jornais The Guardian, Le Monde, a BBC e o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, em 2015, denunciaram que cerca de 30 mil contas do HSBC na Suíça, com 120 bilhões de dólares em depósitos realizados entre 2005 a 2007, são de clientes criminosos e sonegadores. Este caso será “resolvido” com o pagamento de uma multa de quarenta milhões de francos suíços, algo em torno de R$ 135,88 milhões. Este episódio ficou conhecido como SwissLeaks.

– Segundo o jornal Mail on Sunday, em 2013, o banco HSBC pediu a mais de 40 embaixadas no Reino Unido para fecharem suas contas e procurarem outras instituições, como parte de um programa para redução de risco. Isto causou um grande problemas para as embaixadas que precisam de um banco, não só para receber o dinheiro das taxas cobradas para a emissão de vistos e passaportes, mas também para pagar os salários dos funcionários e os aluguéis.

– Foi listado pelo site Hype Science como o banco mais cruel do mundo.

– Em 2012 a Justiça dos Estados Unidos impôs uma multa de US$ 1,9 bilhão, por causa de lavagem de dinheiro. O HSBC foi condenado por ter facilitado a transferência de milhões de dólares a países sujeitos a sanções internacionais e aos cartéis mexicanos do tráfico de drogas.

– Em 2012 foi acusado de envolvimento com os cartéis de drogas do México.

– Em 2012 o HSBC foi condenado a pagar R$67,5 milhões por espionagem. O Sindicato dos Bancários de Curitiba e região, juntamente com a Fetec-CUT-PR e a Contraf-CUT, denunciaram a prática ilegal de invasão de privacidade por causa de uma investigação feita pelo banco inglês, com informações detalhadas de bancários afastados por motivo de saúde, em sua maioria trabalhadores de Curitiba e região.

Clique aqui para ver diversas notícias sobre o HSBC.

Resistência dos trabalhadores

Palácio Avenida: sede do HSBC Brasil. Foto: Joka Madruga.

Nesta terça-feira, 09 de junho, os bancários participaram de uma mobilização nacional em defesa do emprego Em Curitiba, foram fechados os quatro centros administrativos do banco. O protesto coincidiu com o anúncio oficial do diretor-executivo do HSBC mundial, Stuart Gulliver: a nova estratégia prevê a saída do HSBC do Brasil e da Turquia, com a previsão de 50 mil demissões no mundo todo, metade nos dois países envolvidos.

Após a mobilização desta terça, o tema foi debatido na Assembleia Legislativa do Paraná e com a Prefeitura de Curitiba. Nacionalmente, o banco chamou o movimento sindical para uma reunião nesta quarta, dia 10, em São Paulo.

Desde novembro de 2014 existem boatos da venda do Hong Kong e Shanghai Banking Corporation – HSBC Brasil – e a preocupação se acirrou com a divulgação do balanço financeiro do banco em 2014, que apresentou prejuízo de R$ 549 milhões. O Sindicato dos Bancários de Curitiba e região vem atuando em diversas frentes pela defesa do emprego no HSBC, são mais de 22 mil funcionários no país e 11 mil famílias diretamente afetadas somente em Curitiba e região, considerando bancários e trabalhadores de outras categorias, já que a sede do HSBC Brasil é na capital paranaense.

Por Joka Madruga e Paula Zarth Padilha
Terra Sem Males

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *