Joka Madruga fala sobre mobilizações populares na América Latina para grevistas acampados

Compartilhe esta notícia.

Foto: Paula Padilha

Na tarde da última segunda-feira, 16 de fevereiro, o repórter fotográfico Joka Madruga participou de uma atividade cultural promovida pela APP Sindicato para os professores estaduais que permanecem acampados, mesmo durante o período do Carnaval, em frente ao Palácio Iguaçu, em Curitiba. A greve dos servidores públicos estaduais já dura 9 dias.

Joka Madruga falou sobre as duas viagens que fez à Venezuela, nos anos de 2012 e 2013, para cobrir, respectivamente, a reeleição de Hugo Chavez e a eleição de Nicolás Maduro, após a morte do Presidente. Joka destacou o que viu nas ruas da capital Caracas durante as duas eleições. Enquanto aqui no Brasil a grande imprensa divulga atos de violência, de repressão à imprensa local e qualquer outra justificativa para desqualificar Chavez, o cenário no local é o oposto, com a população indo às ruas demonstrar o patriotismo e o apoio a Chavez e Maduro. “Desconfie de tudo o que a mídia mostra sobre os países da América Latina”, orientou Joka.

Joka também falou sobre a viagem que fez à Guatemala, quando acompanhou e registrou as dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores na busca pela organização sindical. Ele trouxe dados do ano de 2013 sobre o número de assassinatos de sindicalistas que, na maioria dos casos, foram divulgados como crimes passionais. Joka também relatou alguns assassinatos mais conhecidos por lá.

As palestras foram acompanhadas de uma apresentação das fotos tiradas durante as viagens. O objetivo da direção da APP é alertar a categoria do cuidado que a população deve ter ao assistir ou ler notícias veiculadas pela mídia hegemônica.

Após a palestra, Rafael Freire, da CNA, falou sobre geopolítica e conscientização sobre a importância da politização nos movimentos sociais e sindicais para a defesa de uma pauta da classe trabalhadora.

A programação cultural continuou nesta terça-feira, com música, debate sobre feminismo e educação, com a exibição do documentário “As mães da Praça de Maio” e oficinas, além de uma exposição de fotos da greve.

Agenda do acampamento

Quarta Feira
15:00 – Workshop de Caricatura
16:00 – Debate sobre o Conselho Estadual de Educação
20:00 – Sarau de Poesia com Zequinha

Quinta Feira
14:30 – Negociações com o Governo
17:00 – Reunião com o Comando de Greve Estadual
19:00 – Contação de Histórias com a Professora Moira
20:00 – Música Indiana com Rodrigo Fonseca

 

Paula Padilha
Terra sem Males 

One thought on “Joka Madruga fala sobre mobilizações populares na América Latina para grevistas acampados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *