Jornaldo*: “É tudo uma grande PELADA”

Compartilhe esta notícia.

Aff… 

Agora mais essa… “o menino do Acre”….  o amiguinho dos ET’s. Eu hein!

Não preciso criptografar nada pra falar dos aliens do Sindijorzão 2017.

Então lá vai… 

Soroca Eterno: um ET. Ninguém sabe a sua idade, só sabemos que joga muito. 

Halanna: uma ET. Muito acima da média, não pode ser humana. 

Kássio: um ET. Mesário, Árbitro, artilheiro… não precisa falar mais nada. 

Carol Extraordinária: uma ET. Como disse o técnico Léo Coelho –  “reúne técnica, movimentação, passe e, especialmente, uma finalização calibrada”. 

Albari dos Gol Bonitos: um ET. Ninguém sabe a sua idade, aparentemente mais velho que o Soroca Eterno. Mas joga muuuiito. 

Nem Uma a Menos: um time de ET’s. Invictas. Super favoritas. Uniram perfeitamente raça e técnica. 

Na verdade, a lista dos aliens do Sindijorzão é enorme e eu falaria de [email protected], claro! Mas o problema é que nas últimas horas aconteceu um evento extraordinário! 

Preciso falar de conspiração. 

É minhas amigas e meu amigos, sinto informar, mas o Sindijorzão 2017 masculino corre o risco de ser anulado. Lógico, a investigação corre por baixo dos tapetes da justiça, mas, mesmo não tendo certeza, tenho convicção: rolou uma entregada. 

Explico: 

Depois da primeira rodada, eu, como excelente e humilde jornalista investigativo que sou, descobri um ritual entre os jogadores das equipes do Catadão e do Che Garotos. Para quem não se lembra do caso dos homens nus no vestiário da Stark, clique aqui

Porém, o que antes era apenas uma faísca, com a confirmação de Catadão e Che Garotos na final do maior campeonato de jornalistas do Brasil, agora ganha protagonismo. 

Você pode me perguntar: “Jornaldo, onde está a teoria da conspiração?”. Pequeno gafanhoto, eis a prova maior, a confirmação, o DNA no local do crime: o Sindijorzão 2017 é uma verdadeira PELADA.

Foda-se o “Caso Getterson”. A conversa aqui é muito mais profunda (sic). 

Preste atenção: 

Temos provas de que houve um ritual dos peladões? Temos. 

Temos como saber que os precursores da suruba foram os dirigentes do Catadão e do Che Garotos? Temos. 

Então, quem me garante que os outros times também não entraram nesse culto e entregaram as partidas pros líderes dessa seita? 

Se você me perguntar: houve conspiração? Minha resposta, obviamente, será: SIM. 

O que aconteceu, de verdade, foi que todos os outros times, através de laços ensaboados, se uniram e derrubaram quem não fazia parte do “clubinho”, da “panelinha”. 

Mesmo a organização do Sindijorzão sendo mais articulada que a da Federação Paranaense de Futebol, infelizmente, mais um campeonato vai acabar nos tribunais. 

E antes que você pense que essa judicialização tirará a purpurina do torneio, vejo um lado positivo nisso tudo. Uma mensagem: como é importante essa mistura! 

O maior exemplo é o “Caso Galdino”. Jogador do Che. 

Ano passado ele havia mostrado enorme qualidade futebolística, despertando interesse de vários cartolas. Agora, em 2017, ele conseguiu a proeza de tucanar os guevaristas. Um caso clássico de suruba! Não “aquela” que reza da cartilha do Romero Jucá. Não! Essa jamais… 

As misturas do Sindijorzão são transparentes e seguem o código de ética dos jornalistas. 

Portanto, não me venha com “feliz dia do jornalista”, nem hoje nem amanhã, afinal, somos jornalistas todos os dias, acordamos jornalista e dormimos jornalista. Seja nas quadras ou nas redações – menos da Gazeta do Povo, que não existe mais… 

Agora vou correr para os tribunais e acompanhar a Operação Vestiário. 

Fica assim, meu amigos. Até o churras. 

OBS: Fui orientado pelo meu advogado a não falar sobre o máster. Devido a sérias ameaças.  

*Jornaldo: é jornalista esportivo renomado internacionalmente. Sempre disputado pelas mídias convencionais, optou por fazer a crônica do Sindijorzão, o torneio de Futsal do Sindicato dos Jornalistas do Paraná. Os valores nunca foram divulgados.

Foto: Joka Madruga/Terra Sem Males

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *