Jornaldo*: No futsal, tudo é possível 

Compartilhe esta notícia.

Tive que ligar pro Luis Enrique. 

Parabenizá-lo pela virada histórica do Barcelona. 

Papo vai papo vem, questionei-o em relação ao futuro. O treinador espanhol comentou que vai deixar o Barcelona ao término da temporada. 

“Você se acha qualificado pro Sindijorzão?” – perguntei. 

Ele parabenizou Valkiller, que aniversariou ontem, e disse que acompanha de longe o Sindijorzão. Mesmo assim, combinei de mandar uns tapes dos jogos. 

Também fiz um pedido especial. Uma análise do jogo Sensacionalistas x Moscas Mortas. Pergunta: “num jogo de 25 x 02, dá pra virar?”.  

Depois de algumas horas ele retornou. Já atendi perguntando sobre a virada… 

“Tranquilo”. Luisin acredita que faltou vida para o Moscas Mortas. Para o treinador, eles não testaram o suficiente a qualidade do arqueiro roxo. “Tres patadas dos goles”, – completou.  

Tive que concordar. 

Um fato interessante, extra campo, é que depois que eu passei as imagens das partidas, o espanhol entrou em contato com a atacante Kássio. Parece que o treinador convidou o atleta pra jogar o restante da Champions, mas o entrosamento com Daniel Cabelo e Renan Careca falou mais alto. O jogador disse não. 

Não contente, parece que Luis Enrique virá pessoalmente negociar com o atleta. Esse que se destacou após dar um chapéu, dentro da área, no goleiro do Che Garotos. Um golaço. 

Outra confirmação é que Luis Enrique irá se filiar a torcida organizada Raça Lilás. Por fim, solicitou um estágio com o treinador Léo Coelho. 

Antes de desligar, ele ainda elogiou a bela coreografia do atleta Marcinho Bolshoi. Que pela primeira vez, na historia do futsal, aplicou um pedaço do Lago dos Cisnes numa partida! 

Foi a criação de um símbolo que mistura popular e clássico.

Beleza? 

Outra coisa. Gostaria de dar um informe. Talvez não estarei presente amanhã. 

Tudo porque esses dias eu vi a Berenice. Eu só a conhecia pelos livros do Edgar A. Poe! Me apaixonei. Eu jurava que tinha aberto o túmulo dela e arrancado seus dentes, como prova de amor; e os colocado numa caixinha de madeira. 

O problema é que quando passou o efeito do Absinto, eu já havia destruído minha dentadura e jogado meus dentes na privada. Por isso, não tem como eu aparecer desse jeito na Stark. Não conseguiria nem xingar o ‘Fafá’, por exemplo. 

*Jornaldo: é jornalista esportivo renomado internacionalmente. Sempre disputado pelas mídias convencionais, optou por fazer a crônica do Sindijorzão, o torneio de Futsal do Sindicato dos Jornalistas do Paraná. Os valores nunca foram divulgados.

Foto: Joka Madruga/Terra Sem Males

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *