Nota do MTST-PR sobre atos e declarações intimidatórias do secretário Ricardo Mac Donald

Compartilhe esta notícia.

Coordenação MTST-PR 

Por razão que nos é absolutamente desconhecida, o secretário de Governo da prefeitura de Curitiba, Ricardo Mac Donald, por meio de entrevistas e notas plantadas na imprensa, tem, aparentemente, buscado criar um clima de animosidade com relação à manifestação programada para quinta-feira, 15 de dezembro, em frente à sede da prefeitura.

No programa Paraná TV, da RPC, edição de 7 de dezembro, por exemplo, insinuou que poderia haver “invasão” e “depredação de patrimônio público”.

Além disso, desde o começo da semana passada, o secretário MacDonald vem apresentando sinais concretos de ansiedade e intransigência. Na terça-feira, 6 de dezembro, por exemplo, convocou o GOE da Guarda Municipal para cercar, sem necessidade alguma, o Palácio 29 de Março, para supostamente “protegê-lo” de manifestação, que não ocorreu – e não ocorreria sem prévia comunicação.

Registre-se também que a coluna de 13 de dezembro do jornalista Celso Nascimento na Gazeta do Povo, afirma, sem qualquer base, que a manifestação do dia 15 é “liderada” pela vice-prefeita Mirian Gonçalves, que “pretende levar para a frente da prefeitura grupos barulhentos para exigir de Fruet a assinatura de três decretos ilegais”. (A expressão “grupos barulhentos” e a descabida inferência de que agimos sob “liderança” de qualquer autoridade pública ou grupo de pressão, além de deslegitimar os manifestantes, se prestaria também a facilitar medidas repressivas?)

Neste contexto, nos vemos obrigados a questionar se a Guarda Municipal de Curitiba estaria se preparando, a mando do secretário, para reprimir manifestação popular legítima, em favor da publicação dos decretos assinados no início do mês pela prefeita em exercício Mirian Gonçalves, que declaram como áreas de utilidade pública terrenos que envolvem as ocupações Tiradentes, Nova Primavera, 29 de Março e Dona Cida na Cidade Industrial, bem como excluem as faltas dos servidores municipais que participaram de greves no período de 2014 e 2015.

A convocação é uma iniciativa do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-teto) e SISMUC (Sindicato dos Servidores Municipais de Curitiba), apoiada por movimentos culturais que se somaram à mobilização contra o recente calote no edital do Fundo Municipal de Cultura. Isso é, são organizações sociais que se mobilizam por serem prejudicadas pelas ações erráticas do secretário de Governo. A concentração será feita às 9h da manhã na Praça 19 de Dezembro e seguirá em marcha até a prefeitura, onde haverá um abraço simbólico, apresentações artísticas e musicais e um coral com crianças das Ocupações na CIC.

Em atos e palavras, o secretário Ricardo MacDonald, além de protelar, de forma no mínimo irregular, a publicação dos decretos, mostra o que, ao menos neste triste fim de gestão, parece ser seu único diálogo possível com os funcionários municipais e os movimentos sociais de moradia e cultura: a intimidação.

O prefeito Gustavo Fuet e todo o seu secretariado deveriam, em lugar de exercitar uma retórica vazia, ser proativos em solucionar os problemas da cidade, inclusive apoiando e publicando os justos e oportunos decretos da então prefeita em exercício Mirian Gonçalves.

One thought on “Nota do MTST-PR sobre atos e declarações intimidatórias do secretário Ricardo Mac Donald

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *