“O governo de Bolsonaro promove a discriminação dos indígenas brasileiros”, denuncia Cimi à ONU

Compartilhe esta notícia.

Por CIMI

Na manhã desta sexta-feira (19), o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) se dirigiu à 46ª sessão ordinária do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas para denunciar o governo brasileiro pela publicação da Resolução 04/2021, que estabelece “critérios de heteroidentificação” para avaliar a autodeclaração de identidade dos povos indígenas no Brasil.

A Resolução contraria a Constituição Federal e a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

A denúncia foi realizada pelo presidente do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Dom Roque Paloschi, arcebispo de Porto Velho (RO), que também alertou: “ao tentar trazer para si o direito de declarar quem é ou não indígena, Bolsonaro também estaria decidindo quem será ou não beneficiário das políticas públicas, que são direitos constitucionalmente garantidos”.

As contribuições a este item do Conselho de Direitos Humanos têm por objetivo acompanhar a implementação da Declaração e Programa de Ação de Durban.

One thought on ““O governo de Bolsonaro promove a discriminação dos indígenas brasileiros”, denuncia Cimi à ONU

  • 23 de março de 2021 em 22:39
    Permalink

    Fico muito agradecido em de 09 T.I. XAVANTE de MT, que o Conselho Indigenista Mussionário (CIMI) se dirigiu à 46a Sessão Ordinária do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas para denunciar o governo brasileiro pela publicação da Resolução 04/2021, que estabelece “critérios de heteroidetificação” para avaliar a autodeclaração de identidade dos povos indígenas no Brasil. Parabens Dom Roque Paloschi

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *