Os significados da escolha do novo papa

Compartilhe esta notícia.

 Emílio Carlos Rodriguez Lopez, especial para o Viomundo

Papa Francisco ora antes de se apresentar para os católicos. Foto: L’Osservatore Romano

A escolha do papa surpreendeu o mundo e pela primeira vez temos um não europeu, jesuíta e que escolheu o nome de Francisco para dirigir a Igreja. Mas há outro fato importante. De certa forma, é a volta de teorias consideradas heréticas  desde a Idade Média, pois defendiam uma Igreja pobre e se aproximavam das idéias de São Francisco de Assis, também defensor de uma Igreja mais simples e do desapego aos bens materiais.

Afinal, o  que significa essa escolha?

Há alguns aspectos importantes.

Trata-se  de adepto de  linha divergente do papa que renunciou. Representa crítica a uma Igreja que foi muito à direita, com domínio da Opus Dei,  aproximando-se mais do Vaticano I e se afastando de Paulo VI e do Vaticano II.

Não podemos esquecer que Bento XVI perdoou e reintegrou à Igreja os cardeais próximos à Tradição Família e Propriedade, que até hoje rezam a missa em latim. Parece que Bento XVI renunciou quando percebeu que foi à direita demais e deu grandes poderes à Opus Dei, que dirigia o Banco do Vaticano, acusado de promover lavagem de dinheiro de políticos e da máfia italiana, entre outros desvios. Esperam-se mudanças profundas na Cúria Romana e na gestão da Igreja.

Leonardo Boff foi processado pelo Vaticano e por Ratzinger por propor uma reestruturação da Igreja e a superação de um modelo do monarquia absolutista, que não ouvia a realidade local. Talvez agora mudemos para uma monarquia mais do tipo parlamentar, mais antenada à realidade local e mais preocupada com a crescente desigualdade e pobreza no mundo. Por isso, se espera por um novo Concílio que reatualize o Vaticano II.

O papa Francisco é conservador em relação à doutrina, porém mais aberto aos problemas sociais e crítico da desigualdade do mundo. Isso provavelmente porque viveu  o drama da quebra da Argentina pelos governos neoliberais e vivenciou as crises social e política que se seguiram.

Leia o texto completo em Viomundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *